sicnot

Perfil

Cultura

Papa Francisco lança um álbum em novembro, informa a revista Rolling Stone

O papa Francisco, que está de visita aos Estados Unidos, editará em novembro um álbum com "mensagens de esperança, fé e união" interpretadas com música rock, revelou hoje a revista norte-americana Rolling Stone.

O álbum chama-se "Wake Up!", tem a aprovação do Vaticano e sairá a 27 de novembro. Hoje a Rolling Stone disponibilizou um tema para escuta online, intitulado "Wake Up! Go! Go! Forward!", composto pelo músico Tony Pagliuca e com uma "sonoridade rock progressivo".

O alinhamento do disco conta com 11 canções, com o papa Francisco a falar em inglês, italiano, espanhol e português, e com uma mensagem que dialoga com a melodia, como contou o padre Giullio Neroni, produtor.

"Há muitos anos que sou o produtor e o diretor artístico de álbuns do papa. Tive a honra de trabalhar com João Paulo II, Bento XVI e agora o papa Francisco", afirmou o produtor à Rolling Stone.

Neroni sublinhou que tentou ser o mais fiel possível à personalidade de Francisco: Um papa do diálogo, das portas abertas e da hospitalidade. Por isso é que em 'Wake up!' a voz dele dialoga com a música".

A propósito das canções, Tony Pagliuca afirmou à Rolling Stone que aceitou "com entusiasmo" participar neste álbum, recordando que nos anos 1970 fundou a banda de "prog-rock" Le Orme e colaborou com artistas como Peter Hammil e David Jackson.

"Por a minha música ao serviço das palavras e da voz do papa Francisco tem sido uma experiência fantástica e um desafio artístico muito interessante", disse o músico.

Lusa

  • Os momentos que marcaram o 7.º dia de Mundial
    1:08
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Os momentos descontraídos dos jogadores
    1:54
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O humor russo
    1:32
  • Schulz responde a Trump: "é um especialista em estatísticas criminais"

    Mundo

    "Donald Trump é um especialista em estatísticas criminais: pagamentos a estrelas porno, contactos ilegais com russos e diretores de campanha presos". Foi assim que o deputado alemão Martin Schulz respondeu ao Presidente norte-americano, depois de este ter afirmado várias vezes que a criminalidade na Alemanha aumentou devido à imigração.

    SIC

  • "Vou pedir a alguém que dê esta notícia por mim". Jornalista emociona-se com o caso dos bebés mexicanos separados das famílias
    0:49