sicnot

Perfil

Cultura

Escritor sueco Henning Mankell morreu aos 67 anos

O escritor sueco Henning Mankell, mais conhecido pelos seus romances policiais, morreu na noite de domingo para hoje, aos 67 anos, devido a um cancro, anunciou o seu editor em Estocolmo.

© Scanpix Sweden / Reuters

Henning Mankell, que sofria de cancro há vários anos, "morreu tranquilamente esta noite em Goteborg", no sudoeste da Suécia, anunciou o seu editor sueco, Leopard, no seu 'site' na Internet.

A criação mais famosa de Mankell foi o detetive Kurt Wallander, cujas aventuras, passadas no sul da Suécia, foram transformadas numa série televisiva pela BBC, com o polícia a ser interpretado por Kenneth Branagh.

Mankel publicou mais de 40 obras, 12 das quais da série Wallander - várias estão editadas em Portugal -, e uma dezena para crianças. Vendeu mais de 40 milhões de exemplares em todo o mundo.

Era também dramaturgo e estava ligado ao Teatro Avenida, na capital moçambicana, Maputo, desde 1986, ocupando atualmente as funções de diretor artístico, segundo o 'site' do teatro.

Vivia metade do ano na Suécia e metade em Maputo "trabalhando com o teatro e escrevendo", indica a mesma fonte.

"A solidariedade com os fracos e os oprimidos atravessa a sua obra como um fio vermelho", escreveu a editora Leopard, que fundou em 2001 com o editor Dan Israel.

Henning Mankell era casado com Eva Bergman, de 70 anos, filha do cineasta Ingmar Bergman.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite