sicnot

Perfil

Cultura

Ator Ruy de Carvalho teve hoje alta hospitalar

O ator Ruy de Carvalho, de 88 anos, que sofreu no sábado um traumatismo crânio encefálico, teve hoje alta hospitalar, disse à agência Lusa fonte familiar.

 1947 - Estreia profissional do ator Ruy de Carvalho, na companhia Rey Colaço-Robles Monteiro, na peça "Rapazes de Hoje", de Roger-Ferdinand.

1947 - Estreia profissional do ator Ruy de Carvalho, na companhia Rey Colaço-Robles Monteiro, na peça "Rapazes de Hoje", de Roger-Ferdinand.

O ator sofreu, no sábado, uma queda no Centro de Artes e Espetáculos de Portalegre, quando se preparava para participar no espectáculo "Trovas e canções - atores, poetas, cantores", juntamente com o neto, João Henrique Carvalho, e a fadista Ana Marta.

Depois de ter sido assistido no hospital de Portalegre, o ator foi transferido para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Ruy de Carvalho, com 70 anos de carreira, foi condecorado em outubro de 2012 pelo Presidente da República com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

No passado dia 12 de setembro, o ator foi homenageado no Teatro Sá da Bandeira, no Porto, antes de apresentar "Trovas e canções", um espetáculo que reúne três gerações de atores.

Ator regular nos elencos de telenovelas e séries televisivas, Ruy de Carvalho estreou-se em 1942, no Grupo da Mocidade Portuguesa, com a peça "O jogo para o Natal de Cristo", encenada por Francisco Ribeiro.

Frequentou em seguida o Conservatório Nacional e, em 1947, pisou pela primeira vez o palco do Nacional D. Maria II, em Lisboa, integrado no elenco da companhia Rey-Colaço/Robles Monteiro.

"Rei Lear", "À espera de Godot", "Felizmente há luar", "O Judeu" e "O camareiro" foram algumas peças que protagonizou.

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.