sicnot

Perfil

Cultura

Porto vai ser a capital do órgão a partir de domingo

O Porto será a capital do órgão a partir de domingo, com 85 concertos agendados para vários pontos da cidade, num festival internacional que se pretende bienal e com o qual se espera disseminar a música sacra por todos os públicos.

Christophe Ena

"O Festival Internacional de Órgão da cidade do Porto e do Grande Porto não é senão um ato de veneração ao órgão, aproveitando-nos nós da oportunidade da passagem do 30.º aniversário da inauguração do grande órgão da Sé Catedral do Porto", explicou António Ferreira dos Santos, um dos mentores da iniciativa.

Ao longo de 10 dias haverá música por 24 igrejas dos concelhos do Porto, Matosinhos, Maia, Gondomar e Gaia, bem como em espaços "de grande relevância" como o aeroporto de Sá Carneiro, a Estação Ferroviária de São Bento, estação dos Aliados do metro e Câmara Municipal do Porto.

E porque em Portugal a música de órgão está "muito conotada com a religião", a organização levará o evento para espaços públicos, mostrando que este "é um instrumento do mundo", assinalou Rui Veríssimo, organista e diretor artístico.

Este será o 3.º festival na cidade do Porto que tem o órgão como mote, permitindo à população "ouvir o instrumento em todas as suas variadas formas de expressão", acrescentou.

Além das atuações, mais de metade das quais asseguradas por alunos da Escola das Artes da Universidade Católica, o festival conta também com 'workshops', simpósios e visitas de estudo.

O encontro, que pretende também assinalar o 20.º aniversário do órgão de tubos da Igreja da Lapa, será também uma homenagem ao seu construtor Georg Jann, que segundo o cónego Ferreira dos Santos, "deu um testemunho tocante a favor da cultura do instrumento."

Com um orçamento de 320 mil euros, parcialmente assumido pelo instituto Goethe que trará ao Porto 150 artistas, o evento apresentará no Grande Porto o órgão em diversos contextos "ora a solo, ora com solistas cantores, ora com instrumentistas, ora com coros, ora com orquestra".

Para rematar o festival, que todos os dias ecoará pela cidade às 12:00, 18:00 e 21:30, está marcado um concerto na Sé do Porto com o organista Martin Baker da Catedral de Westminster, Inglaterra, acompanhado por fogo-de-artifício a interpretar a tocata e fuga em ré menor de Bach.

"No último acorde dessa obra, em apoteose, e juntando-se ao fogo que sai para o ar dos claustros, vai para o ar, também, fogo-de-artifício dos 11 lugares onde se decorreram concertos", acrescentou o responsável para quem o órgão da Sé do Porto marca o início do Novo Testamento na música sacra da cidade e da região.

A abertura do festival está marcada para as 16:00 de domingo na Sé Catedral do Porto e 45 minutos depois haverá repique dos sinos e carrilhões de todas as 24 igrejas que integram o evento.

Lusa

  • Tudo o que precisa saber sobre a moção de censura ao Governo

    País

    O Governo minoritário do PS enfrenta na terça-feira a sua primeira moção de censura, a 29.ª em 43 anos de democracia, mas PCP, BE e PEV já anunciaram que vai "chumbar" a iniciativa do CDS-PP. Esta é a sétima moção de censura apresentada pelo CDS-PP e a 29.ª a ser discutida na Assembleia da República. Os três partidos de esquerda que têm apoiado o executivo, PCP, BE e PEV, já anunciaram que votam contra. Com os votos do PS, a moção é chumbada.

  • Encontrado corpo de menina posta de castigo na rua pelo pai

    Mundo

    Sherin Mathews estava desaparecida desde o dia 7 de outubro. Este domingo a polícia do estado norte-americano do Texas encontrou o corpo de uma criança que acreditam ser a menina de três anos, desaparecida depois de o pai a colocar de castigo na rua, durante a madrugada.

    SIC

  • A cadela que desistiu da CIA para ir "perseguir esquilos e coelhos"

    Mundo

    Nem todos os cães têm aptidão para combater o crime. Este é o caso de Lulu, uma cadela que estava a treinar para ser agente da CIA, mas que acabou por entrar na reforma ainda durante os treinos. Através do Twitter, a agência norte-americana anunciou na semana passada que Lulu já não iria treinar mais e que tinha sido adotada pelo agente que a treinava.

    SIC

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC