sicnot

Perfil

Cultura

Escritor jamaicano Marlon James vence Man Booker Prize

O escritor jamaicano Marlon James venceu esta terça-feira o Man Booker Prize por "A Brief History of Seven Killings", sobre a tentativa de assassínio do músico Bob Marley.

Marlon James, de 44 anos, é o primeiro escritor da Jamaica a vencer o prestigiado prémio literário para o melhor romance.

Marlon James, de 44 anos, é o primeiro escritor da Jamaica a vencer o prestigiado prémio literário para o melhor romance.

© Neil Hall / Reuters

Marlon James, de 44 anos, é o primeiro escritor da Jamaica a vencer o prestigiado prémio literário para o melhor romance.

"Isto é tão ridículo que acho que vou acordar amanhã e não aconteceu", afirmou James quando subiu ao palco, depois de ter sido anunciado vencedor, na cerimónia em Londres, dedicando o prémio ao falecido pai.

O livro conta em 686 páginas a ascensão do tráfico de drogas na Jamaica e tem todo o um capítulo escrito em patois (língua falada na Jamaica).

"É um romance policial que se move para além do mundo do crime e nos leva a uma história de que sabemos muito pouco", disse o presidente do júri, Michael Madeira, após anunciar o vencedor.

Antigamente, o Man Booker Prize era apenas atribuído a romances escritos em inglês de autores do Reino Unido, Irlanda, Commonwealth e Zimbabué, mas há dois anos passou a estar aberto a todas as nacionalidades.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.