sicnot

Perfil

Cultura

Playboy deixa de publicar fotos de mulheres nuas

A revista Playboy, lançada em 1953 com a atriz Marilyn Monroe na capa, anunciou hoje que vai deixar de publicar fotografias de mulheres nuas e optar apenas pelas poses provocantes.

© Daniel Becerril / Reuters

A decisão foi tomada após uma reunião com o fundador da revista, Hugh Hefner, na qual se verificou que, com o desenvolvimento da indústria pornográfica, a revista, que chegou a vender 5,6 milhões de cópias em 1975, já não ultrapassa as 800 mil.

No entanto, o diretor da Playboy, Scott Flanders, avançou que a revista continuará a publicar fotografias de mulheres, mas apenas em poses provocantes.

A revista norte-americana pretende assim alargar o seu público-alvo, passando a dirigir-se também aos adolescentes, à faixa etária com 13 anos ou mais.

A Playboy, que foi a primeira a quebrar o tabu de publicar fotografias de mulheres nuas, já tinha removido, em 2014, todas as fotografias do seu site na internet.

Apesar de ser conhecida, principalmente, pela imagem da mulher, a revista publicou, ao longo dos anos, entrevistas com grandes figuras da história.

Foi na Playboy que Martin Luther King disse que "a América é hoje uma nação muito doente" e que o então futuro Presidente Jimmy Carter reconheceu ter desejado outras mulheres.

Pelas páginas da revista, com fotografias assinadas por nomes como Helmut Newton e Annie Leibovitz, passaram várias celebridades, desde as atrizes Kim Basinger, Sharon Stone ou Drew Barrymore até à cantora Madonna.

Lusa

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.