sicnot

Perfil

Cultura

Siza Vieira e José Cutileiro orgulhosos com Honoris Causa pela Universidade de Évora

O arquiteto Álvaro Siza Vieira e o embaixador José Cutileiro receberam hoje o doutoramento Honoris Causa pela Universidade de Évora, manifestando orgulho e satisfação pela distinção outorgada pela academia alentejana.

Lusa

Lusa

NUNO VEIGA

"É uma grande honra", sobretudo por ser uma distinção atribuída pela "universidade da cidade onde trabalhei durante 25 anos", congratulou-se à agência Lusa o arquiteto Álvaro Siza Vieira, aludindo ao seu projeto do Bairro da Malagueira, em Évora

Este projeto, premiado a nível internacional, envolveu a construção de "1.200 casas", lembrou o arquiteto, sublinhando: "Foram 25 anos a trabalhar nisso. Acho que nunca fiz tantas casas em sítio nenhum".

Por isso, dada a ligação à cidade alentejana, este doutoramento "tem um sabor especial", admitiu Siza Vieira, após a cerimónia em que recebeu as insígnias doutorais.

Também o embaixador José Cutileiro disse à Lusa, no final da cerimónia no Colégio do Espírito Santo, principal edifício da UE, estar "muito grato" à academia.

"Sinto-me orgulhoso. Gostei muito que houvesse a intenção de me dar esta distinção e fiquei também contente porque estava ao lado do arquiteto Álvaro Siza Vieira", acrescentou.

No seu discurso na sessão solene, a reitora da UE, Ana Costa Freitas, considerou os dois novos doutores Honoris Causa como "duas personalidades relevantíssimas da sociedade portuguesa e com um indiscutível impacto internacional".

Ambos são "grandes embaixadores portugueses, um por via da sua carreira diplomática e embaixador de facto", o outro "por via do seu legado" na área da arquitetura, elogiou a reitora.

Contabilizando já os dois homenageados de hoje, a Universidade de Évora conta com um total de 35 doutores Honoris Causa.

A academia alentejana justificou a atribuição do título a Álvaro Siza Vieira pelo "seu mérito artístico e cultural, no contexto da arquitetura nacional e internacional".

Já o doutoramento Honoris Causa a José Cutileiro, pretende "prestigiar o antropólogo, diplomata, embaixador, alentejano, nascido em Évora e uma das figuras maiores da intelectualidade da segunda metade do século XX português".

Álvaro Joaquim de Melo Siza Vieira nasceu em Matosinhos, em 1933, e estudou Arquitetura na Escola Superior de Belas Artes do Porto, entre 1949 e 1955, tendo a sua primeira obra sido construída em 1954.

Quanto a José Cutileiro, nasceu em Évora, em 1934, e estudou Arquitetura e Medicina em Lisboa, diplomando-se em Antropologia Social e doutorando-se em Oxford (Inglaterra), em 1968.

Por convite de Mário Soares, em 1974, juntou-se ao serviço diplomático, sendo embaixador em Maputo e Pretória e desempenhando, ao longo dos anos, várias funções.

Lusa

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.