sicnot

Perfil

Cultura

Artista chinês Ai Weiwei vai poder realizar nova obra em Lego com ajuda de internautas

O artista dissidente chinês Ai Weiwei anunciou que vai poder realizar o seu novo projeto de obra em Lego dado o sucesso da recolha de peças do brinquedo lançada depois de o fabricante dinamarquês ter recusado um pedido seu.

© Peter Nicholls / Reuters

Ai Weiwei, que lançou hoje de manhã o apelo para doações de blocos de Lego na sua conta da rede social de partilha de fotografias e vídeos Instagram, já recebeu promessas suficientes por parte dos internautas para poder realizar o seu projeto na Austrália, indicou num encontro com a imprensa em Berlim, onde reside desde o início de agosto.

"A Internet é um pouco como uma igreja moderna. Vai-se ver o padre, dá-se-lhe conta do nosso sofrimento e todos os membros da comunidade podem participar e, talvez, encontrar uma solução", disse, segundo declarações divulgadas em alemão pela agência DPA.

O futuro projeto australiano de Ai Weiwei é semelhante ao que criou o ano passado na antiga prisão norte-americana de Alcatraz, onde utilizou blocos Lego para produzir retratos gigantes de dissidentes políticos do mundo inteiro.

No fim de semana, Ai disse que o grupo Lego tinha recusado fornecer-lhe as peças necessárias por "não poder aprovar a utilização (dos seus blocos de construção) para obras políticas".

Em resposta, o artista anunciou no Instagram a instalação de "pontos de recolha em diferentes cidades" e numerosos fãs propuseram imediatamente, na Internet, dar os seus próprios Lego.

Ai Weiwei já chamou a atenção para o facto de a empresa britânica que possui e explora os parques de diversões Legoland, a Merlin Entertainments, ter anunciado a semana passada um projeto de um novo parque em Shanghai, durante a visita do presidente chinês, Xi Jinping, ao Reino Unido.

Pintor, escultor e artista plástico, Ai é igualmente conhecido pelas suas críticas do governo chinês.

Em 2011 esteve detido sem julgamento 81 dias, acusado de fraude fiscal, e foi-lhe exigido o pagamento de 1,7 milhões de euros por alegada evasão fiscal, valor que pagou com a ajuda de contribuições de seguidores e amigos.

O clima de confronto com o governo chinês parecia ter-se apaziguado ultimamente e o artista recuperou o passaporte em julho, após uma confiscação de quatro anos.

Lusa

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.