sicnot

Perfil

Cultura

Obras de arte de Paula Rego e Georg Baselitz vão a leilão em Lisboa

Os quadros "A Marcha", de Paula Rego, e "Hut ab - Die schoene Wiese", de Georg Baselitz, vão a leilão a 12 de novembro, em Lisboa, pela Veritas Art Auctioneers, foi hoje anunciado pela leiloeira.

Paula Rego

Paula Rego

AP

"A Marcha", óleo e colagem sobre tela, pintado por Paula Rego em 1976, vai a leilão com uma base de licitação mínima de 140.000 euros e pode atingir os 200.000 euros, segundo a leiloeira, que coloca o preço da obra de Baselitz sob consulta.

O óleo "Hut ab - Die schoene Wiese" ("Tira o chapéu! O belo campo", em tradução livre) mostra um jockey representado de cabeça para baixo, rodeado por pedras cúbicas, colocado numa moldura de madeira entalhada ao gosto renascentista produzida pelo próprio artista.

A tela, onde o artista - nascido em 1938, na Alemanha - joga com a ideia do homem invertido, do mundo ao contrário, faz parte de uma série única produzida por Georg Baselitz, em Itália, no Verão de 2000.

Também irão à praça neste leilão, segundo a Veritas, obras de George Condo, Helena Almeida, Carlos Botelho, Eduardo Luiz, Nicola De Maria, Julião Sarmento, António Dacosta, José de Guimarães e Thomas Struth.

As peças deste leilão de arte moderna e contemporânea estarão em exposição a partir de sábado, na avenida Elias Garcia, 157A/B, em Lisboa, até 11 de novembro.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão