sicnot

Perfil

Cultura

Realizador norte-americano quer fazer filme em Portugal

O realizador norte-americano David Gordon Green, um dos convidados do Lisbon & Estoril Film Festival (LEFF), manifestou hoje o desejo de rodar um filme em Portugal com um elenco português.

David Gordon Green manifestou hoje o desejo realizar um filme em Portugal com um elenco português.

David Gordon Green manifestou hoje o desejo realizar um filme em Portugal com um elenco português.

© Mario Anzuoni / Reuters

Na nona edição do LEFF, o realizador de "Our brand is crisis", filme de abertura hoje exibido do Casino do Estoril, disse à Lusa que foi o ator português Joaquim de Almeida, um dos protagonistas do seu filme, um dos motivos que o levou a estar presente no evento.

"O Joaquim faz-me rir muito. Um dos motivos por que aqui estou é porque estamos a pensar fazer um filme aqui em Portugal, com ele e um elenco português, o que me deixa muito entusiasmado", afirmou David Gordon Green.

Sobre o Lisbon & Estoril Film Festival, o realizador disse esperar "aprender" e falar com quem faz parte do cinema.

"Espero aproveitar o facto de haver muitos realizadores e muitos filmes em cena que eu quero ver e ser também capaz de fazer uma retrospetiva da minha carreira, o que é muito estranho de fazer a esta altura da minha vida", acrescentou.

Na sua primeira vez em Portugal, o realizador, que só chegou hoje, mostrou-se ansioso por conhecer o país.

"É a minha primeira vez em Portugal. Cheguei hoje mas vou ficar uma semana. É uma cidade linda. Ótima comida. É maravilhosa a primeira impressão. E vou estar de férias. Também vou querer relaxar", contou.

Outro dos motivos que trouxe David Gordon Green a Portugal, disse o próprio, foi também perceber como o seu filme é visto internacionalmente.

Segundo contou, "Our brand in crisis" é sobre "consultores políticos americanos e as suas influências".

"A minha esperança é de que, apesar de o filme se passar na Bolívia, traduza aquilo que as pessoas relacionam, como a política influencia a sua cultura e como frustrante isso pode ser. É disso que trata o filme e eu quero ver como as pessoas de outro país respondem a isso", referiu.

Também Joaquim de Almeida está pela primeira vez a participar no LEFF. O ator português mostrou-se satisfeito por ver o filme que protagoniza, e dirigido por David Gordon Green, a inaugurar o evento.

"Espero que gostem, é bom para abrir o festival. Sou um candidato político e dou trabalho a uma série de consultores americanos para ganhar as eleições. É baseado num documentário, numa história verdadeira e serve para ver a força que têm estes profissionais da política, o jogo que há por trás dos debates que temos e o jogo sujo que se faz para que o outro candidato perca", descreveu.

Joaquim de Almeida sublinhou a importância do LEFF para o cinema pelas personalidades internacionais que participam e para satisfazer o público aficionado pela sétima arte.

O LEFF prolonga-se até dia 15 de novembro em vários espaços de Lisboa e do Estoril.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.