sicnot

Perfil

Cultura

Caetano Veloso não volta a atuar em Israel devido à "opressão" aos palestinianos

O cantautor Caetano Veloso afirmou que não voltará a atuar em Israel pela "opressão" deste país sobre os palestinianos, pelo que foi criticado pela comunidade judia no Brasil.

© Denis Balibouse / Reuters

Num artigo intitulado "Visitar Israel para não voltar mais a Israel", publicado hoje no jornal Folha de S. Paulo, o autor de "Leãozinho" passa em revista a viajem que efetuou, na companhia de Gilberto Gil, a Israel, em julho último, no âmbito de uma digressão artística.

Caetano Veloso afirma que visitou várias vezes Israel desde a década de 1980, que gosta das paisagens do país e que sente Telavive como "estar em casa".

Um lugar, afirma, de que tem saudade "quase como da Bahia".

"Mas que nunca voltarei lá", garante o músico.

Sobre a capital israelita, afirma que após ter chegado, vindo da Europa, "a sensação de 'estar em casa' foi mais forte e comovente do que nunca".

"Agora que se esboça uma terceira intifada, constato de longe que a paz que julgava existir em Telavive -- que começava sendo a paz que eu não quero -- era, como sem embargo soube, todo o tempo, frágil, superficial e ilusória", argumenta.

A Confederação Israelita do Brasil lamentou "profundamente" o testemunho do músico de 73 anos, e considerou que o cantautor toma partido e ignora as "incitações ao terrorismo" contra os judeus que são proferidas pelos palestinianos, noticia a Efe.

Lusa

  • Encontrado corpo de mariscador desaparecido no Barreiro

    País

    O corpo do homem com cerca de 50 anos apareceu esta manhã junto ao Clube Naval do Barreiro, na mesma zona onde tinha desaparecido na noite deste sábado. A informação já foi confirmada à SIC pela Polícia Marítima, que adiantou que o corpo já foi levado para a morgue. O alerta foi dado por volta das 22:30 de ontem pelos companheiros de nacionalidade chinesa que estavam com a vítima na apanha de bivalves na margem sul do Tejo.

  • IPSS despejada nos Açores
    2:25

    País

    A IPSS Aurora Social, de Ponta Delgada, nos Açores, foi notificada pelo tribunal a abandonar a cozinha onde, há mais de 20 anos, fornece comida a quem mais precisa. A decisão judicial partiu de uma queixa dos moradores e põe em causa os postos de trabalho de 13 funcionárias, a maioria com deficiência. Há dois anos que a secretaria regional de solidariedade social dos Açores tenta encontrar uma alternativa à cozinha, que tem licença da câmara.

  • Pais revoltados com transporte de crianças do Mogadouro
    4:14

    País

    Os pais dos alunos de algumas aldeias de Mogadouro estão preocupados com a falta de segurança do transporte dos filhos para a escola, na sede de concelho.Os pais contestam o autocarro degradado, que avaria com frequência, e a falta de cintos de segurança em percursos rurais com dezenas de quilómetros.

  • Quer conhecer os cães mais feios do mundo?
    1:15
  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.