sicnot

Perfil

Cultura

Caetano Veloso não volta a atuar em Israel devido à "opressão" aos palestinianos

O cantautor Caetano Veloso afirmou que não voltará a atuar em Israel pela "opressão" deste país sobre os palestinianos, pelo que foi criticado pela comunidade judia no Brasil.

© Denis Balibouse / Reuters

Num artigo intitulado "Visitar Israel para não voltar mais a Israel", publicado hoje no jornal Folha de S. Paulo, o autor de "Leãozinho" passa em revista a viajem que efetuou, na companhia de Gilberto Gil, a Israel, em julho último, no âmbito de uma digressão artística.

Caetano Veloso afirma que visitou várias vezes Israel desde a década de 1980, que gosta das paisagens do país e que sente Telavive como "estar em casa".

Um lugar, afirma, de que tem saudade "quase como da Bahia".

"Mas que nunca voltarei lá", garante o músico.

Sobre a capital israelita, afirma que após ter chegado, vindo da Europa, "a sensação de 'estar em casa' foi mais forte e comovente do que nunca".

"Agora que se esboça uma terceira intifada, constato de longe que a paz que julgava existir em Telavive -- que começava sendo a paz que eu não quero -- era, como sem embargo soube, todo o tempo, frágil, superficial e ilusória", argumenta.

A Confederação Israelita do Brasil lamentou "profundamente" o testemunho do músico de 73 anos, e considerou que o cantautor toma partido e ignora as "incitações ao terrorismo" contra os judeus que são proferidas pelos palestinianos, noticia a Efe.

Lusa

  • Marcelo lembra as consequências da demissão de Vítor Gaspar
    1:06

    Caso CGD

    O Presidente da República reitera que o assunto Caixa Geral de Depósitos está fechado. Em entrevista à TVI, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou esta segunda-feira as consequências que a demissão de Vítor Gaspar, ministro das Finanças em 2013, provocou no sistema financeiro para justificar o facto de ter intervindo na polémica com as SMS trocadas entre Mário Centeno e António Domingues.

  • PSD e CDS admitem chamar António Costa à nova Comissão de Inquérito à CGD
    2:37

    Caso CGD

    PSD e CDS admitem chamar o primeiro-ministro à nova Comissão de Inquérito à CGD. Apesar de ser uma hipótese, a SIC sabe que os dois partidos ainda estão a definir o objeto do inquérito e, por isso, afirmam que é prematuro falar sobre eventuais audições. Seja como for, António Costa voltou esta segunda-feira a dizer que o assunto está encerrado.

  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • Avioneta despenha-se em centro comercial de Melbourne

    Mundo

    Uma avioneta com cinco pessoas a bordo caiu num centro comercial perto do aeroporto de Essendon em Melbourne, capital da Austrália. Segundo a polícia do estado de Vitória tratava-se de um voo charter com destino a King Island, situada entre a parte continental da Austrália e a ilha da Tasmânia.

  • Pelo menos 18 detidos em protestos no Rio de Janeiro

    Mundo

    Pelo menos 18 pessoas foram esta segunda-feira detidas no Rio de Janeiro, Brasil, depois de confrontos com a polícia durante um protesto contra a privatização da empresa pública de saneamento, que serve o terceiro estado mais povoado do país.

  • O momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado
    1:21

    Mundo

    A investigação ao homicídio do meio-irmão do líder da Coreia do Norte no aeroporto da capital da Malásia está a provocar uma crise diplomática entre os dois países. Esta segunda-feira, um canal de televisão japonês divulgou imagens das câmaras de vigilância do aeroporto que alegadamente captam o momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado.

  • O atentado na Suécia inventado por Donald Trump
    2:12
  • Os ensaios para a maior festa do ano
    1:16

    Mundo

    Em contagem decrescente para o Carnaval, no Rio de Janeiro, já começaram os ensaios para a maior festa do ano. A noite de testes na avenida Marquês de Sapucaí conta com desfiles gratuitos.