sicnot

Perfil

Cultura

Concertos no Palácio de Mafra vão da música medieval à contemporânea em três dias

O Palácio Nacional de Mafra recebe, nos próximos dias 27 a 29 de novembro, vários concertos de música de diferentes épocas, integrados no cico "In'Musica", organizado pela câmara municipal e pela Associação Cultural Cultur'Canto.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O "In'Musica" tem por objetivo "explorar vários estilos e estéticas musicais de diferentes períodos da história", dedicados à música erudita, vocal e instrumental, esclarece a nota de imprensa da organização.

Percorrendo uma diversidade de épocas, desde a medieval até à atualidade, de vozes e de instrumentos, os concertos vão do canto gregoriano à música contemporânea, durante três dias, em diferentes espaços do palácio.

Sob a direção de Daniel Oliveira e de Jorge Afonso, o ciclo arranca no dia 27, com um concerto de canto gregoriano e música polifónica medieval, pelo Coro Gregoriano Solemnis.

No dia 28, estão agendados dois concertos, o primeiro dos quais vai estar a cargo do Coro de Câmara 'Outros Cantos', com Daniel Oliveira, em cravo e baixo-contínuo (acompanhamento), com um programa dedicado à música renascentista, sob o lema "O Sacro e o Profano na música da Renascença".

No mesmo dia, atuam o Ars Eloquentia Trio e Daniel Oliveira, em cravo, e Débora Bessa, flauta de bisel, para um concerto de música barroca, intitulado "Barroco Europeu em diálogo com a Itália".

O dia 29 é repartido entre a música contemporânea, com o concerto "Sons da Lusofonia", pelo grupo Entre Madeiras Trio e por Miriam Tallete Cardoso, na flauta, Filipe Miguel Branco, no oboé, e João Andrade Nunes, no saxofone, e a música de câmara, com o concerto "Música Romântica e Contemporânea", pelo Trio Innominatum, acompanhado por João Pedro Guimas, em piano, Paulo Bernardino, clarinete, e Sofia Azevedo, violoncelo.

Com o encontro, câmara e Cultur'Canto têm por objetivo valorizar a vila de Mafra em termos musicais e culturais, dinamizar os espaços históricos do palácio, dotar os ouvintes de mais conhecimentos sobre a diversidade musical ao longo das épocas e fomentar o interesse pela investigação musical.

Lusa