sicnot

Perfil

Cultura

Propostas para "A Palavra do Ano" começam hoje a ser recebidas

A Porto Editora inicia hoje a primeira volta para a escolha d'"A palavra do ano", começando a receber, no sítio www.palavradoano.pt, as propostas de palavras que possam vir a integrar a lista das dez finalistas.

palavradoano.pt

"Através deste site, cada pessoa pode propor aquela que lhe parece poder vir a ser a palavra do ano de 2015", explicou à Lusa fonte da Porto Editora, que desde 2009 organiza este concurso.

"Em 2009 foi esmiuçar, palavra que ganhou notoriedade no âmbito de uma rubrica televisiva dos comediantes Gato Fedorento", disse a mesma fonte.

"Esta primeira fase de auscultação pública durará até ao fim de novembro, depois, nos primeiros dias de dezembro, será anunciada a lista das dez palavras candidatas à Palavra do Ano 2015, abrindo-se a votação naquele 'site' até o final do ano", explicou a mesma fonte.

"As sugestões recebidas são cruzadas com uma lista alargada que assinalamos ao longo do ano, e é deste cruzamento que sairão as dez palavars finalistas", explicou a mesma fonte.

O anúncio da palavra eleita será feito "nos primeiros dias de 2016".

A "esmiuçar" seguiu-se, em 2010, vuvuzela, palavra escolhida, "muito provavelmente, por este objeto ter sido largamente mediatizado durante o Mundial de Futebol disputado naquele ano, na África do Sul".

Em 2011 foi austeridade, "palavra que entrou em força nesse ano e, infelizmente, ainda se mantém muito presente", e, em 2012, foi 'entroikado', "um neologismo que refletia bem o estado de espírito da generalidade dos portugueses", segundo a mesma fonte.

Em 2013, a escolha recaiu sobre bombeiro, "uma homenagem feita pelos portugueses, num ano que ficou tristemente marcado pela perda de muitas vidas no combate aos incêndios que se verificaram no verão".

No ano passado, a palavra escolhida foi corrupção, "tantos foram os casos de suspeita de corrupção conhecidos ao longo do ano, em diferentes setores da sociedade, envolvendo entidades e personalidades públicas".

  • Jovem que morreu numa estância de esqui em Espanha sofreu um aneurisma
    1:26
  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • "Isto é uma mentira e tem carimbo de Estado"
    2:12

    Opinião

    O preço das botijas de gás em Portugal duplicou nos últimos 15 anos. José Gomes Ferreira esteve no Jornal da Noite, da SIC, onde explicou este aumento, lembrando que a classe política prometeu que se houvesse mais empresas a operar no mercado, os preços desciam. Contudo, José Gomes Ferreira diz que "isto é uma mentira e tem carimbo de Estado". O Diretor-Adjunto de Informação SIC explicou que como o mercado é livre, os operadores vendem aos preços mais altos que podem, deste modo os preços não variam muito entre uns e outros.

    José Gomes Ferreira