sicnot

Perfil

Cultura

Casa da Música dedica 2016 à "musicalmente entusiasmante" Rússia

A Casa da Música, no Porto, escolheu a Rússia como país temático de 2016, prometendo uma programação com "narrativas transversais, naquela que será a maior mostra de música russa jamais levada a cabo em Portugal".

ASSOCIATED PRESS

Na agenda para 2016, o atual diretor artístico da Casa da Música, António Jorge Pacheco, escreve que "um dos principais fios condutores" da programação será "um tema historicamente fascinante - atualmente e a vários títulos inquietante - e, claro, musicalmente entusiasmante: a Rússia".

O diretor avança que serão realizados mais de três dezenas de concertos que envolverão os quatro agrupamentos residentes da Casa Música - a Orquestra Sinfónica do Porto, o Remix Ensemble, a Orquestra Barroca e o Coro -, o Serviço Educativo e "um leque apreciável de reputados músicos convidados".

A abertura oficial do 'Ano Rússia', que simbolicamente terá o nome de "Mãe Rússia", contará com a participação da Orquestra Sinfónica Casa da Música que, a 15 de janeiro, na Sala Suggia, interpretará a "Sagração da Primavera", de Igor Stravinsky, considerada uma das mais marcantes obras orquestrais de todos os tempos, estreada entre protestos, em Paris, em 1913, que revela a influência ainda hoje visível do paganismo na cultura russa.

A Rússia também vai marcar presença no festival Invicta.Música.Filmes, que decorre de 13 a 21 de fevereiro, bem como no Música&Revolução (de 23 de abril a 01 de maio), este ano dedicado aos compositores mais perseguidos pelo regime soviético.

O compositor de origem grega Georges Aperghis - cuja primeira obra de teatro musical "La tragique histoire du nécromancien Hiéronimo et de son miroir" data de 1971, detentor do Prémio Mauricio Kagel (2011), considerado um dos responsáveis pela "reinvenção do teatro musical no Século XX" - será o compositor em residência em 2016

A agenda para o ano de arranque da segunda década da Casa da Música tem reservada, para abril, a estreia em Portugal, na qualidade de compositor, do "multifacetado e inquieto" Gabriel Prokofiev, neto de Sergei Prokofiev.

Em junho - mês em que tem início o programa "Verão na Casa", que se estende até 10 de setembro - esta instituição portuense recebe a primeira visita do artista em residência, o suíço Heinz Holliger que apresentará em estreia mundial uma encomenda que lhe foi feita pela Casa da Música.

A agenda do "Outono em Jazz", que tem início a meio de outubro, reserva nomes como Ramsey Lewis Quartet, Billy Cobham Band, Jack DeJohnette, Kurt Elling ou Branford Marsalis e, em novembro, o mês acaba com a Orquestra Sinfónica a interpretar obras de três dos mais significativos compositores russos, Mussorgsky, Borodin e Rimski-Korsakov.

Em 2016, a Casa da Música fecha os ciclos da Integral dos Concertos para Piano de Sergei Rachmaninov e das Sinfonias de Sergei Prokofiev, com concertos ao longo do mês de dezembro, encerrando uma temporada que António Jorge Pacheco diz ser dedicada ao professor, musicólogo e melómano Manuel Dias da Fonseca, ex-vereador da Cultura da Câmara Municipal de Matosinhos, fundador do Quarteto de Cordas de Matosinhos, falecido no passado mês de agosto.

"A música - como qualquer arte - pode ser inútil mas é absolutamente necessária. Tenhamos sempre presente, hoje mais do que nunca, o que Dostoievski dizia: a beleza pode salvar o mundo. Ele sabia do que falava. Porque se há, certamente, falsas necessidades, a beleza não é uma delas", escreve o diretor artístico da Casa da Música.

Lusa

  • Meryl Streep mais uma vez candidata a um Óscar

    Óscares 2017

    Aos 67 anos, Meryl Streep soma mais uma nomeação para aqueles que são os prémios mais cobiçados de Hollywood. A atriz foi nomeada pela interpretação em "Florence, Uma Diva Fora de Tom". Esta é vigésima vez que a Academia reconhece o trabalho da atriz, que já levou o Óscar para casa três vezes.

    Miguel Domingos

  • Polanski recusa presidir aos "César" por caso de violação em 1977
    1:55

    Cultura

    Roman Polanski já não vai presidir à cerimónia dos prémios César, o equivalente aos Óscares em França. A decisão de se afastar foi tomada esta terça-feira pelo próprio cineasta, na sequência da polémica em que se viu envolvido assim que foi convidado. Em 1977, Polanski foi acusado de ter violado uma adolescente de 13 anos, na Califórnia, declarando-se culpado. O realizador foi agora pressionado por associações feministas, redes sociais e pela ministra francesa dos direitos das mulheres. O diretor do Festival de Cannes Thierry Fremaux diz que falou com o realizador e acha que não é necessário "adicionar mais problemas ao problema".

  • Marcelo quer fazer mais e melhor no segundo ano de mandato
    0:48
  • "Andem lá com isso!"
    0:42
  • "A Miss Helsínquia é a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza"

    Mundo

    Sephora Lindsay Ikabala venceu o concurso Miss Helsínquia 2017 e, desde então, tem vindo a ser insultada e criticada nas redes sociais. A nigeriana de 19 anos vive na cidade desde criança. "A Miss Helsínquia é literalmente a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza", é apenas um dos muitos comentários que circula nas redes sociais.