sicnot

Perfil

Cultura

Carta manuscrita assinada por Eça de Queiroz vai a leilão em Lisboa

Uma carta manuscrita e assinada pelo escritor Eça de Queiroz (1845-1900) vai ser apresentada em Lisboa, num leilão 'online', entre sábado e 26 de novembro, organizado pelo Palácio do Correio Velho.

A carta e um manuscrito original, de um fragmento de uma primeira fase do livro "Primo Basílio", ambos com base de licitação de 400 euros, fazem parte os 600 lotes do leilão da biblioteca do médico e cientista Lopo Cancella de Abreu, segundo a leiloeira.

A biblioteca, que agora vai a leilão, tem como principais núcleos temáticos livros sobre Direito e Legislação dos séculos XVI ao XIX, contendo as clássicas e principais obras dos grandes legisladores portugueses dos séculos XVII e XVIII.

Também reúne obras da literatura portuguesa, sobretudo com livros de Eça de Queiroz e algumas raras peças de memorabilia sobre o autor de "Os Maias", além de uma colecção de livros de arte portuguesa e estrangeira.

Médico e cientista português nascido na Guarda, em 1913, e falecido na Parede, em 1990, Cancella de Abreu foi doutorado em Medicina pela Universidade de Lisboa, tendo-se depois especializado em pneumotisiologia em Roma.

Considerado internacionalmente como um grande especialista em tuberculose, fundou a Clínica Hélio - Marítima, na Parede, foi deputado à Assembleia Nacional e Ministro da Saúde e Assistência no primeiro governo de Marcello Caetano, de 1968 a 1970.

Em 1970, foi condecorado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique e foi-lhe conferido o grau de comendador em 1984.

A exposição dos livros vai estar patente ao público no Palácio do Correio Velho, em Lisboa, na sexta-feira, das 10:00 às 13:30, e das 14:30 às 19:00, repetindo-se nos dias 23, 24, 25 e 26, no mesmo horário, para o público manusear e consultar os livros desta biblioteca.

Lusa

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11