sicnot

Perfil

Cultura

Quatro filmes de animação chegam aos cinemas até ao final do ano

Até ao final do ano, quatro novos filmes de animação vão estrear-se nos cinemas, num ano em que este género cinematográfico já somou mais de nove milhões de euros de bilheteira e 1,9 milhões de espectadores.

© Brendan McDermid / Reuters

Quinta-feira estreia-se "O Principezinho", de Mark Osbourne, inspirado no livro homónimo de Antoine de Saint-Exupéry, um clássico da literatura para crianças e jovens, publicado nos anos 1940 e que entrou este ano no domínio público.

O filme, estreado no festival de Cannes, cruza as personagens do livro de Saint-Exupéry com a história de uma menina prodígio, que conhece um antigo piloto de aviões. A versão portuguesa do filme conta com as vozes de Rita Blanco, Paulo Pires, Joana Ribeiro e Rui Mendes, entre outros.

Em tempo de férias escolares de natal, as distribuidoras reforçam as estreias de filmes para os mais novos, contando, a 10 de dezembro, com a estreia de "Hotel Transilvânia 2", comédia de Genndy Tartakovsky, protagonizada por Drácula, dono de um hotel para todos os monstros e vilões das histórias.

A 17 de dezembro estreia-se "Muito à frente - Uma comédia pré-histórica", produção franco-italiana realizada pelo ator e humorista Jamel Debbouze e que versa sobre a evolução da espécie humana.

Sendo uma adaptação livre do romance "Por que comi o meu pai?", de Roy Lewis, de 1960, o filme conta a história de Eduardo, filho do rei dos símios, enjeitado pelo pai e que terá que sobreviver longe da família, acabando por concretizar algumas das maiores conquistas do Homem, como o controlo do fogo e a domesticação de animais.

Na semana do natal, no dia 24, estreia-se "Snoopy e Charlie Brown: Peanuts - O Filme", de Steve Martino, com Charlie Brown, Lucy, Snoopy, Linus e Schroeder, personagens de banda desenhada criadas por Charles Schulz em 1950, a ganharem nova dimensão no grande ecrã.

Esta longa-metragem em 3D conta com argumento de Craig Schulz e Brian Schulz, filho e neto do autor norte-americano.

De acordo com as estatísticas do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) contabilizadas até novembro, o filme mais visto em 2015 pelos portugueses foi a animação "Mínimos", com personagens que ganharam protagonismo depois terem aparecido pela primeira vez na animação "Gru, o mal disposto".

O filme, de Pierre Coffin e Kyle Balda, somou mais de 936 mil espectadores e 4,7 milhões de euros de bilheteira.

Entre os 40 filmes com mais espectadores e receita bruta de bilheteira estão ainda outros filmes de animação: "Divertida-mente", "Home: A minha casa", "Sponge Bob: Esponja fora de água", "A ovelha choné" e "Big Hero 6: Os novos heróis".

No total, estes seis filmes somaram 9,8 milhões de espectadores e 1,9 milhões de euros de receita de bilheteira.

Além desta lista de filmes, ao longo de 2015 estrearam-se outros filmes de animação a pensar nos mais novos, nomeadamente "Lendas de Oz: O regresso de Dorothy", "Mune - O guardião da Lua", "Abelha Maia - O Filme" e, na semana passada, "A viagem de Arlo", a mais recente produção da Pixar.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28