sicnot

Perfil

Cultura

Quatro filmes de animação chegam aos cinemas até ao final do ano

Até ao final do ano, quatro novos filmes de animação vão estrear-se nos cinemas, num ano em que este género cinematográfico já somou mais de nove milhões de euros de bilheteira e 1,9 milhões de espectadores.

© Brendan McDermid / Reuters

Quinta-feira estreia-se "O Principezinho", de Mark Osbourne, inspirado no livro homónimo de Antoine de Saint-Exupéry, um clássico da literatura para crianças e jovens, publicado nos anos 1940 e que entrou este ano no domínio público.

O filme, estreado no festival de Cannes, cruza as personagens do livro de Saint-Exupéry com a história de uma menina prodígio, que conhece um antigo piloto de aviões. A versão portuguesa do filme conta com as vozes de Rita Blanco, Paulo Pires, Joana Ribeiro e Rui Mendes, entre outros.

Em tempo de férias escolares de natal, as distribuidoras reforçam as estreias de filmes para os mais novos, contando, a 10 de dezembro, com a estreia de "Hotel Transilvânia 2", comédia de Genndy Tartakovsky, protagonizada por Drácula, dono de um hotel para todos os monstros e vilões das histórias.

A 17 de dezembro estreia-se "Muito à frente - Uma comédia pré-histórica", produção franco-italiana realizada pelo ator e humorista Jamel Debbouze e que versa sobre a evolução da espécie humana.

Sendo uma adaptação livre do romance "Por que comi o meu pai?", de Roy Lewis, de 1960, o filme conta a história de Eduardo, filho do rei dos símios, enjeitado pelo pai e que terá que sobreviver longe da família, acabando por concretizar algumas das maiores conquistas do Homem, como o controlo do fogo e a domesticação de animais.

Na semana do natal, no dia 24, estreia-se "Snoopy e Charlie Brown: Peanuts - O Filme", de Steve Martino, com Charlie Brown, Lucy, Snoopy, Linus e Schroeder, personagens de banda desenhada criadas por Charles Schulz em 1950, a ganharem nova dimensão no grande ecrã.

Esta longa-metragem em 3D conta com argumento de Craig Schulz e Brian Schulz, filho e neto do autor norte-americano.

De acordo com as estatísticas do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) contabilizadas até novembro, o filme mais visto em 2015 pelos portugueses foi a animação "Mínimos", com personagens que ganharam protagonismo depois terem aparecido pela primeira vez na animação "Gru, o mal disposto".

O filme, de Pierre Coffin e Kyle Balda, somou mais de 936 mil espectadores e 4,7 milhões de euros de bilheteira.

Entre os 40 filmes com mais espectadores e receita bruta de bilheteira estão ainda outros filmes de animação: "Divertida-mente", "Home: A minha casa", "Sponge Bob: Esponja fora de água", "A ovelha choné" e "Big Hero 6: Os novos heróis".

No total, estes seis filmes somaram 9,8 milhões de espectadores e 1,9 milhões de euros de receita de bilheteira.

Além desta lista de filmes, ao longo de 2015 estrearam-se outros filmes de animação a pensar nos mais novos, nomeadamente "Lendas de Oz: O regresso de Dorothy", "Mune - O guardião da Lua", "Abelha Maia - O Filme" e, na semana passada, "A viagem de Arlo", a mais recente produção da Pixar.

Lusa

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.