sicnot

Perfil

Cultura

Palácio do Bolhão no Porto vai acolher palestiniano Freedom Theatre no próximo ano

A Academia Contemporânea do Espetáculo (ACE), no Porto, anunciou hoje a programação para 2016, que inclui uma mostra de artes e ideias que, em setembro, prevê a deslocação do projeto palestiniano Freedom Theatre ao Palácio do Bolhão.

JOS\303\211 COELHO

O anúncio da programação para o próximo ano foi feito em conferência de imprensa, durante a qual também foi feito um balanço de 2015, primeiro ano de abertura de portas do renovado Palácio do Bolhão e de presença da ACE e da companhia Teatro do Bolhão naquele espaço.

Da direção da ACE, António Capelo disse que estão "há muitos anos" a tentar estabelecer uma parceria com o Freedom Theatre, uma vez que é onde se encontra a antiga aluna da academia Micaela Miranda.

Micaela Miranda desloca-se assim ao Porto acompanhada por outros formadores do Freedom Theatre e por um grupo de formandos locais para uma semana que vai contar também com filmes e exposições sobre o conflito israelo-árabe.

Depois de em 2015 terem superado os 30.000 espectadores para a totalidade dos espetáculos realizados e acolhidos, a programação do Palácio do Bolhão inicia-se, entre 14 e 17 de janeiro, com o espetáculo "Verso", do mágico Helder Guimarães.

Em fevereiro, nos dias 12 e 13, o salão nobre do palácio recebe "No dia em que te foste arranquei o meu coração e dei-o a comer aos porcos", com texto de Paulo Freitas e encenação de Claudio Hochman.

A programação prossegue com os espetáculos "Eu serei Shakespeare" (de 06 a 17 de abril) e "Sud-Express (Cabaret Político e Francês)" (de 12 de maio a 05 de junho), ambos com texto de Zeferino Mota, que encena também o primeiro e conta com a encenação de João Paulo Costa no segundo caso.

No ano em que se assinala o 25.º aniversário da ACE, é estreada a mostra de artes e ideias intitulada Vaga, que, segundo o texto do diretor Pedro Aparício no dossier de imprensa, "celebrará o lugar enraizado e significativo da escola na formação teatral em Portugal, chamando aos múltiplos espaços do Palácio do Bolhão dezenas de profissionais formados na ACE".

"Vamos chamar dezenas de ex-alunos" ao longo de três meses, disse Pedro Aparício na conferência de imprensa, sublinhando esperar que a Vaga se possa repetir nos anos seguintes.

António Capelo afirmou, por seu lado, que "o facto de a Câmara [Municipal do Porto] ter mudado de mãos criou umas esperanças que de alguma forma se têm vindo a concretizar" e salientou: "Não podíamos deixar de referir que temos imensas expectativas ao facto de o nosso poder central ter mudado também".

A ACE aproveitou ainda a conferência de imprensa para anunciar o apoio do Montepio Crédito como "patrono", com a criação de três prémios para os melhores alunos de cada um dos três anos da escola e um prémio de 1.500 euros para o melhor espetáculo no âmbito das provas de aptidão profissional.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.