sicnot

Perfil

Cultura

Sintra assinala 20 anos da classificação como Património Mundial da UNESCO

A classificação da Paisagem Cultural de Sintra pela UNESCO faz 20 anos no domingo, numa altura em que a vila regista um aumento do turismo e ainda procura solução para o trânsito no centro histórico.

ASSOCIATED PRESS

"A classificação de Sintra como Paisagem Cultural da Humanidade projetou-a nos roteiros culturais internacionais, granjeou-lhe prestígio, reconhecimento, que se traduziu também num aumento da procura turística", admitiu à Lusa Edite Estrela (PS), presidente da autarquia sintrense quando a vila foi classificada.

Parte do centro histórico e da serra de Sintra foi classificada, a 06 de dezembro de 1995, pelo comité do Património Mundial da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), reunido em Berlim, na categoria de Paisagem Cultural.

A ideia da candidatura, proposta em 1988 pelo historiador de Arte Vítor Serrão, então diretor da Biblioteca Municipal de Sintra, foi desenvolvida através de um longo e conturbado processo coordenado pelo arqueólogo José Cardim Ribeiro.

"Aquilo que se tem de entender por Paisagem Cultural de Sintra, e que corresponde à realidade aprovada pela UNESCO, inclui, em sentido lato, três diferentes zonas", salientou Cardim Ribeiro, numa comunicação sobre os 20 anos da classificação, defendendo que as áreas são "complementares e interdependentes".

Na zona "inscrita" concentram-se os parques da Pena e de Monserrate, com os respetivos palácios, o Castelo dos Mouros, o Convento dos Capuchos e o Palácio Nacional de Sintra (antigo Paço Real), enquanto a zona "tampão" se estende até ao litoral e a "de transição" se prolonga pela área do Parque Natural de Sintra-Cascais.

Na sequência de missões técnicas a Sintra, um comité da UNESCO concluiu, em 2006, não existirem motivos para a inclusão na lista de património mundial em perigo, desde que fosse recuperada a zona "inscrita", alertando para a "ameaça" urbanística nas zonas "tampão" e "de transição".

"Quer as autoridades nacionais, quer as autoridades autárquicas têm a noção de que é um espaço privilegiado que urge preservar e valorizar. E, portanto, não penso que alguma vez este estatuto possa ser perdido, isso seria dramático", considerou Edite Estrela.

A criação da sociedade Parques de Sintra-Monte da Lua (PSML), para gerir os parques e os monumentos do Estado, em 2000, também contribuiu para salvaguardar "as condições e tudo aquilo que é exigível para uma área classificada", notou.

A deputada admitiu a necessidade de resolver a questão do trânsito e do estacionamento na vila, depois de ter sido abandonado, no seu mandato, o projeto da construção de um silo na Volta do Duche.

"Hoje em dia, e pela Europa, o que se vê em zonas similares é o recurso a parques subterrâneos e a zonas pedonais, ou seja, interditar o trânsito aos centros históricos e cada vez mais isso vai ser uma necessidade, até por razões ambientais", vincou.

A presidente da comissão nacional da UNESCO, Ana Martinho, sublinhou que a inscrição na lista do Património Mundial se traduz em benefícios de "maior visibilidade e promoção turística", o que, por seu lado, origina "novas pressões sobre os bens".

Para a embaixadora, "é natural que as pessoas" queiram visitar os sítios e monumentos classificados, "mas o eventual acréscimo de turistas não pode, de facto, colocar em causa os valores do bem, pelo que a sua gestão requer um cuidado acrescido e exigente".

Apesar da revisão das áreas "inscrita" e "tampão" ser "uma possibilidade em aberto", dependente de exigentes avaliações técnicas, o comité do Património Mundial atribui cada vez mais importância aos planos de gestão, apontou Ana Martinho.

O município e a PSML decidiram constituir, em setembro, o Gabinete do Património Mundial - Paisagem Cultural de Sintra, com o objetivo de promover o "debate de ideias sobre a gestão e a reabilitação do património".

A comissão nacional da UNESCO decidiu associar-se à iniciativa e instalar no gabinete um novo centro da organização internacional, vocacionado para o Património Mundial, através da divulgação dos valores do organismo das Nações Unidas.

"O centro UNESCO que está a ser criado poderá desempenhar um papel fundamental na preservação desta bela paisagem cultural que é um bem partilhado por todos nós e de que nos orgulhamos muito", explicou Ana Martinho.

Lusa

  • "A banca parece que não aprendeu nada com a bolha imobiliária de 2008"
    3:23

    Opinião

    O Governo quer limitar a venda de produtos financeiros pelos bancos. Está no parlamento uma proposta de lei que penaliza as más práticas comerciais e tenta proteger os clientes, evitando abusos e encargos excessivos e obrigando os bancos a prestarem-lhes mais informação. A proposta prevê ainda que seja dada mais formação aos funcionários. Miguel Sousa Tavares considera a decisão do Governo acertada uma vez que protege os interesses dos clientes. O comentador da SIC faz ainda referência ao ano 2008, início da crise no ramo imobiliário por "culpa dos credores".

    Miguel Sousa Tavares

  • PSP apreende 11 armas e 700 quilos de droga
    0:59

    País

    A PSP recuperou mais três das 57 pistolas Glock que foram dadas como desaparecidas da Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública, há mais de um ano. As armas foram apreendidas na última madrugada durante uma operação de combate ao tráfico de estupefacientes. Três pessoas foram detidas. Além das três Glock que pertenciam à PSP, foram aprendidas mais 11 armas e 700 quilos de droga.

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser "derrotada como todos os outros"

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47

    Opinião

    Donald Trump admite regras mais apertadas para quem compra armas, isto após o tiroteio numa escola da Florida que fez 17 mortos. Miguel Sousa Tavares defende que os Estados Unidos da América são "uma sociedade de pistoleiros" e diz que a Associação Nacional de Rifles "gasta muito dinheiro" para conseguir que as leis não sejam mudadas no Senado.

    Miguel Sousa Tavares