sicnot

Perfil

Cultura

Kendrick Lamar e Taylor Swift dominam nomeações dos prémios Grammy

O rapper norte-americano Kendrick Lamar lidera as nomeações para os prémios de música Grammy, mas é a cantora Taylor Swift que domina nas categorias consideradas principais, anunciou hoje a organização em Los Angeles, Califórnia.

© China Stringer Network / Reut

Kendrick Lamar está indicado para 11 Grammy - os prémios da indústria discográfica norte-americana - por causa do álbum "To pimp a butterfly". Taylor Swift soma sete nomeações com o disco "1989", entre as quais "Álbum do ano", "Canção do Ano" e "Gravação do Ano".

Com sete nomeações segue também The Weeknd, nome artístico do músico e produtor canadiano Abel Tesfaye, que editou este ano o álbum "Beauty behind the madness."

Além dos discos de Taylor Swift, Kendrick Lamar e The Weeknd, para o Grammy de "Álbum do Ano" estão nomeados "Sound & Colour", da banda blues rock americana Alabama Shakes, e "Traveller", álbum de estreia do músico country Chris Stapleton.

Para o Grammy de "Artista Revelação" estão indicados Courtney Barnett e James Bay - que já atuaram recentemente em Portugal -, Sam Hunt, Tori Kelly e Meghan Trainor.

Bjork, My Morning Jackeet, Tame Impala, Wilco e Alabama Shakes estão indicados para melhor álbum de música alternativa.

Na categoria de "World Music" surgem nomeados Gilberto Gil, Angelique Kidjo, Ladysmith Black Mambazo, Anoushka Shankar e Zomba Prison Project.

A gravação da ópera "Il ritorno d'Ulisse in Patria", de Monteverdi, pela orquestra Boston Baroque, com a participação dos cantores portugueses Fernando Guimarães - como protagonista - e João Fernandes, está nomeada para o prémio de música Grammy de "Melhor Gravação de Ópera".

A cerimónia de entrega do prémios está marcada para 15 de fevereiro em Los Angeles.

Lusa

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05