sicnot

Perfil

Cultura

A Barraca estreia "A Claraboia", de José Saramago

A peça "Claraboia", baseada no romance homónimo de José Saramago, é estreada hoje, pel'A Barraca, no Cinearte, em Lisboa, numa adaptação de João Paulo Guerra, que assina a dramaturgia com Maria do Céu Guerra.

 2008 - A Câmara de Lisboa aprova em reunião do executivo municipal a cedência da Casa dos Bicos para a instalação da Fundação José Saramago, que acolherá a biblioteca do autor prémio Nobel da Literatura.

2008 - A Câmara de Lisboa aprova em reunião do executivo municipal a cedência da Casa dos Bicos para a instalação da Fundação José Saramago, que acolherá a biblioteca do autor prémio Nobel da Literatura.

© Reuters Photographer / Reuter

"São 17 personagens distribuídas em seis apartamentos num bairro de gente 'remediada', na Lisboa dos anos 1950. As suas necessidades, aspirações, quezílias, transgressões, mentiras são a principal matéria/desafio para um grande espetáculo de teatro. Tudo encerrado num espaço onde a ausência de amor é a parede mestra de cada casa e onde o fascismo à portuguesa é vivido até ao mínimo pormenor, com a polícia à espreita dentro de cada um", afirma em comunicado Maria do Céu Guerra.

A atriz e encenadora atesta que colocar a peça em cena, "com a anuência da Fundação José Saramago", foi "um desafio".

"Temos a certeza que 'Claraboia' honrará as instituições culturais envolvidas e não menos o seu autor", remata Maria do Céu Guerra.

Levar a peça do Nobel português à cena insere-se numa linha de programação d'A Barraca, que anteriormente produziu "As Viagens de Gulliver", de Jonathan Swift, "O diabinho da mão furada", de António José da Silva, "A Peregrinação", de Fernão Mendes Pinto, "A relíquia", de Eça de Queiroz, "Gente da terceira classe", de José Rodrigues Miguéis, "Os emigrantes", de Ferreira de Castro, e "A balada do café triste", de Carson McCullers.

Quanto a "Claraboia", a ação localiza-se em Lisboa, algures num bairro popular, num prédio onde vivem um sapateiro e a sua mulher, um caixeiro-viajante casado com uma galega e o filho de ambos, um empregado da tipografia de um jornal e a mulher, uma família de quatro mulheres - duas irmãs e as duas filhas de uma delas -- e um empregado de escritório, a mulher e respetiva filha, no início da idade adulta, e ainda uma "mulher por conta", no 1.º andar.

A ação é espoletada pelo aluguer de um quarto pelo sapateiro a Abel Nogueira, "personagem para o qual Saramago transpõe o seu debate - debate que 30 anos depois viria a ser o tema central do romance 'O ano da morte de Ricardo Reis' - com Fernando Pessoa: Podemos manter-nos alheios ao mundo que nos rodeia? Não teremos o dever de intervir no mundo, porque somos dele parte integrante?", escreve A Barraca em comunicado.

A música original é de João Paulo Guerra, cenografia e guarda-roupa de José Manuel Costa Reis, e o elenco constituído por Maria do Céu Guerra, que se desdobra em duas personagens, Paula Guedes, Lucinda Loureiro, Hélder Costa, Carolina Parreira, Rita Soares, Teresa Mello Sampayo, Paula Sousa, Sérgio Moras, Rita Lello, Carlos Sebastião, Paula Bárcia, João Maria Pinto, Sónia Barradas, Adérito Lopes, Fernando Belo, Rúben Garcia, Henrique Abrantes e Guilherme Lopes, que alternam no papel de "Henriquinho", o filho do caixeiro-viajante e da galega.

Lusa

  • Voluntários portugueses rumam ao México com cães de salvamento
    1:59

    Mundo

    Nuno Vieira e Marco Saraiva são voluntários de Braga. Com os seus dois cães, "Koi" e "Yuki", formam uma equipa de resgate e partem esta noite para o México, para ajudar na busca e salvamento de vítimas do terramoto que abalou o país esta terça-feira. A equipa portuguesa faz parte de uma ONG espanhola.

  • Furacão Maria deixa rasto de destruição em Porto Rico
    1:16
  • "Desistam desta escalada de radicalismo e desobediência"
    3:35
  • Como acabar com o cyberbulling? Os internautas aconselham Melania Trump

    Mundo

    Melania Trump está a ser alvo de piadas na internet, depois de ter dado um discurso, a propósito da Assembleia-Geral da ONU, sobre cyberbulling. Uns destacaram que a primeira-dama estava a falar de pobreza com um vestido de 3.000 dólares (cerca de 2.500 euros). Outros lembraram a ironia do discurso com as atitudes de Donald Trump, acusando-o de ser um bullie, que deveria ser parado, e que o primeiro passo seria impedir a presença o Presidente norte-americano no Twitter.

    SIC

  • Sabe onde fica a Nambia? Algures em África, segundo Trump

    Mundo

    "O sistema de saúde na Nambia é incrivelmente autossuficiente", declarou o Presidente dos Estados Unidos num discurso proferido num almoço com líderes africanos. No encontro, realizado esta quarta-feira à margem da 72.ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova Iorque, Donald Trump repetiu o erro. Os utilizadores das redes sociais não perdoaram mais este "lapso" do chefe de Estado norte-americano.

  • DGS garante que não há perigo de dengue
    2:09

    País

    Foi detectada em Penafiel a presença de uma espécie de mosquito potencialmente transmissora de dengue. No entanto, a diretor-geral da Saúde, Francisco George, garante que nenhum dos mosquitos estava infetado, não havendo assim riscos para a saúde humana. O mosquito de origem asiática já se espalhou por vários países europeus.

  • José Cid denuncia poluição em ribeira de Mogofores
    2:03

    País

    Uma descarga poluente matou peixes e outros seres vivos num curso de água que alimenta o rio Cértima, em Anadia. Um dos moradores revoltados com o cenário é o cantor José Cid, proprietário de uma quinta onde passa a ribeira, cuja água é habitualmente usada para regar os campos agrícolas.

  • Contra a endogamia académica
    2:40

    País

    As universidades públicas contratam sobretudo professores formados na própria instituição. O estudo recente da Direção-geral de Estatísticas da Educação e Ciência revela que o mérito não tem sido o requisito privilegiado. A endogamia académica é o conceito que se tenta agora inverter a bem da qualidade cientêntifica, da criatividade e da inovação.

  • Episódio da Abelha Maia censurado por queixas de obscenidade

    Cultura

    A plataforma digital Netflix viu-se obrigada a retirar um episódio da Abelha Maia depois das queixas de pais norte-americanos por causa de um "desenho obsceno", em forma de pénis. Aparentemente, terá sido só removido para quem acede nos EUA dado que, ao que a SIC pôde constatar, a partir de Portugal o episódio 35 está disponível.

  • Yoko Ono obriga limonada "John Lemon" a mudar de nome

    Cultura

    A viúva do Beatle John Lennon ameaçou processar uma empresa de bebidas polaca por causa da limonada "John Lemon". Yoko Ono não terá gostado do trocadilho entre Lennon e Lemon (limão, em inglês) e quer ver toda e qualquer garrafa com este rótulo retirada do mercado.