sicnot

Perfil

Cultura

AC/DC abrem nova digressão europeia em Portugal

O grupo hard-rock australiano AC/DC iniciará em Portugal uma nova digressão europeia, com um concerto a 7 de maio no Passeio Marítimo de Algés, Oeiras.

© Jason Reed / Reuters

A "Rock or Bust World Tour" já passou pelos Estados Unidos, seguindo agora para uma nova série de concertos na Europa, a começar em Portugal, em espaços abertos ou estádios.

Os bilhetes para este concerto de regresso dos AC/DC serão colocados à venda no domingo e custam 65 euros.

Espanha, França, Bélgica, República Checa, Alemanha e Reino Unido são alguns dos países por onde passará a digressão, com o último concerto marcado para 12 de junho na Dinamarca.

A banda, fundada em 1973 pelos irmãos Malcom e Angus Young e que é ainda hoje uma das bandas rock de maior sucesso internacional, tem andado em digressão há mais de um ano, depois de ter editado o álbum "Rock or bust".

O percurso da banda só ficou ensombrado recentemente com a saída de cesa do guitarrista Malcom Young, a quem foi diagnosticada demência, e pelo julgamento do ex-baterista Phil Rudd, acusado em 2014, de fazer ameaças de morte a duas pessoas e por posse de drogas.

Lusa

  • "A vitória de Bruno de Carvalho pode ser uma vitória de Pirro"
    1:01
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    As eleições para a presidência do Sporting realizam-se no próximo sábado e os comentadores d'O Dia Seguinte avaliaram já as hipóteses de vitória dos candidatos. Rui Gomes da Silva considera que a gravação que implicava José Maria Ricciardi não vai influenciar a decisão de voto. Já Paulo Farinha Alves acredita que Bruno de Carvalho vai vencer a eleição. Contudo José Guilherme Aguiar avisa as eleições podem não trazer estabilidade ao Sporting.

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06
  • Sócrates acusa Cavaco de conspiração
    0:57
  • Vulcão Etna em erupção
    1:34
  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22
  • Como a maioria de Esquerda gere as votações
    2:15

    País

    A gestão entre os partidos é feita diariamente mas nem sempre PCP e Bloco de Esquerda têm votado ao lado do Governo. A SIC ouviu um politólogo, que diz que o objetivo é cada um salientar as diferenças que os separam do PS. No entanto, também há exemplos que provam que nenhum dos partidos quer pôr em causa a estabilidade política.