sicnot

Perfil

Cultura

Pasta vermelha de Margaret Thatcher leiloada por 334.000 euros

A pasta de couro vermelha que pertenceu a Margaret Thatcher durante o período em que foi primeira-ministra britânica (1979-1990) foi hoje leiloada em Londres por 242.500 libras (334.557 euros).

Frank Augstein

A licitação ultrapassou as expectativas da leiloeira Christie's, que tinha estimado o seu preço entre as 3.000 e as 5.000 libras (entre 4.170 e 6.950 euros), o que provocou uma onda de aplausos na sala após o golpe do martelo.

Trata-se de uma peça histórica, decorada com o brasão real de Isabel II e as palavras "Prime Minister" e o número 1 inscritos em inglês.

Além dos compradores de Londres, a pasta de Thatcher atraiu licitadores de outros países, como a Coreia do Sul e Malta, indicou a Christie's.

Outro dos pertences relevantes da Dama de Ferro hoje arrematados foi um texto datilografado do discurso que Thatcher proferiu na Câmara dos Comuns ao tornar-se chefe do Governo britânico, a 04 de maio de 1979.

O texto, que contém as famosas palavras "Onde houver discórdia, levemos a harmonia", foi vendido por 37.500 libras (51.735 euros).

Também o vestido de noiva de Margaret Thatcher foi arrematado por 25.000 libras (34.490 euros), dois dias depois do que teria sido o seu 64.º aniversário de casamento: a baronesa usou o vestido azul de veludo e as luvas a condizer na cerimónia de casamento com Dennis Thatcher, a 13 de dezembro de 1951, na capela Wesley de Londres.

Este leilão realizou-se quando se completam 25 anos desde que a Dama de Ferro deixou o cargo, após 11 anos de governação que a tornaram a chefe do Governo britânico que mais tempo esteve em funções e a única mulher a ocupar o cargo.

A Christie's pôs à venda 419 objetos históricos e pessoais que pertenceram a Margaret Thatcher, dos quais 186 foram hoje arrematados na sessão.

Os restantes 233 objetos encontram-se disponíveis para venda na internet desde o passado dia 03 de dezembro, e podem ser alvo de licitação desde hoje de manhã.

Lusa

  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14