sicnot

Perfil

Cultura

U2 afinal não vão atuar em Portugal em 2016

A promotora Ritmos & Blues anunciou hoje que não está confirmado qualquer concerto dos U2, em 2016, em Portugal, apesar de terem existido negociações para um regresso da banda a palcos nacionais.

© Benoit Tessier / Reuters

"Nós nunca confirmámos concertos nenhum. Houve negociações, sim senhor, e tentativas, conversações, mas, por várias razões, não se confirma qualquer concerto deles. Fala-se que vão gravar um novo álbum, que estão parados", afirmou à agência Lusa o promotor Álvaro Ramos.

A hipótese de um regresso dos U2 a Portugal, em 2016, tinha sido avançada há vários meses pela promotora, em declarações à comunicação social, e que faltaria confirmar datas e locais. Hoje, na rede social Facebook, a Ritmos & Blues explica que não haverá qualquer concerto.

"Quando eles [os U2] voltarem a fazer concertos outra vez, pois aí veremos", afirmou à Lusa Álvaro Ramos, um dos fundadores da Ritmos & Blues, que tem sido a promotora responsável pela realização dos espectáculos da banda de Bono e The Edge em Portugal.

A última vez que os U2 estiveram em Portugal foi em 2010, com dois concertos no Estádio Cidade de Coimbra.

Dois dos últimos concertos dos U2 foram nos dias 07 e 08 de dezembro, em Paris, datas que foram remarcadas depois dos atentados de 13 de novembro na capital francesa.

A banda andou na estrada com a digressão "Innocence + Experience Tour 2015", que contou com vários concertos em cada cidade por onde passarm, dando preferência a recintos fechados, em vez de estádios.

O motivo para esta nova digressão é o álbum "Songs of Innocence", editado em 2014.

Por causa dos atentados de Paris, os U2 escreveram uma nova canção, intitulada "Streets of Surrender", que aborda o tema da violência e a crise dos refugiados.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.