sicnot

Perfil

Cultura

Fanny Ardant rodará novo filme em Portugal em janeiro, com Gérard Depardieu

A atriz e realizadora francesa Fanny Ardant prepara-se para rodar em janeiro um novo filme em Portugal, intitulado "E atrás de mim uma gaiola vazia", revelou a produtora Leopardo Filmes, de Paulo Branco.

© Stringer . / Reuters

O filme contará com a participação do ator Gérard Depardieu no papel do antigo líder da ex-União Soviética Josef Estaline, e da atriz Emmanuelle Seigner.

"E atrás de mim uma gaiola vazia", que será rodado em janeiro e fevereiro no Buçaco e em Curia, é uma adaptação do romance "Le divan de Staline", de Jean-Daniel Baltassat.

Segundo a Leopardo Filmes, a longa-metragem "aborda uma das figuras centrais da História Mundial sob uma perspetiva freudiana e intimista".

Este será o segundo filme que Fanny Ardant rodará integralmente em Portugal, depois de ter feito "Cadências obstinadas", em 2013, em Lisboa. A estreia da atriz como realizadora deu-se em 2009, com "Cinzas e sangue".

Além de Gérard Depardieu e Emmanuelle Seigner, o filme contará no elenco com Xavier Maly, François Challot, Tudor Istodor, Luna Piccoli-Truffaut, Alexis Maretti e Paul Hamy. A direção da fotografia será de Renato Berta.

Lusa

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),

  • "A maioria das pessoas que criticou André Ventura nunca viveu esses problemas"
    3:43

    Opinião

    A polémica em torno das declarações do candidato do PSD à Câmara de Loures, André Ventura, sobre o modo de vida da etnia cigana no concelho, esteve em análise no Jornal da Noite desta segunda-feira. Miguel Sousa Tavares defende que "os problemas existem mas não podem ser generalizados". O comentador SIC considera, ainda assim, que André Ventura tem razão quando diz que "a maioria das pessoas que o criticou nunca viveu esses problemas".

    Miguel Sousa Tavares