sicnot

Perfil

Cultura

Ministro da Cultura disponibiliza apoio para recuperação do Museu da Língua Portuguesa

O ministro da Cultura, João Soares, lamentou hoje o incêndio no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, e a vítima mortal, e adiantou que o Governo português está "absolutamente disponível" para ajudar na recuperação.

Em declarações à agência Lusa, João Soares disse tratar-se de "um acontecimento trágico, absolutamente lamentável", naquele que "era seguramente o mais importante Museu de Língua Portuguesa no mundo, com uma dinâmica assinalável".

"O que importa agora é, para além de lamentar a vítima, deitar mãos à obra para reconstruir de forma dinâmica e renovada o Museu da Língua Portuguesa, e o Ministério da Cultura de Portugal está absolutamente disponível", adiantou.

João Soares salientou que já entrou em contacto com a secretaria de Estado da Cultura do Brasil para apoiar na renovação do museu, que visitou há anos.

"Já o fizemos saber aos nossos irmãos brasileiros [à secretaria da Cultura de São Paulo] para apoiar, na medida em que for possível, esse trabalho de reconstrução e renovação do museu, que pertence a todos aqueles que têm, como dizia o poeta, a língua portuguesa como sua pátria", disse.

O ministro da Cultura disse ainda que vai ainda hoje receber o cônsul de Portugal em São Paulo, que está em Lisboa, para analisar a situação.

"Nós temos experiência neste tipo de acidentes. Tenho pessoalmente experiência aquando do incêndio há uns anos nos Paços do Concelho em Lisboa e meti logo mãos à obra", disse.

João Soares considerou também que por ser "particularmente moderno", poderá ser "menos difícil a renovação".

"Digamos que talvez seja menos difícil pô-lo em funcionamento do que por exemplo o equivalente a um Museu de Arte Antiga", disse.

O incêndio, ocorrido na segunda-feira, destruiu quase totalmente as instalações do Museu, mas o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, já garantiu que vai ser reconstruído.

Alckmin visitou o museu, ao final da tarde, para avaliar os danos causados e confirmou que o acervo é digital e foi preservado porque a instituição tem cópias das obras.

Ronaldo Pereira da Cruz, um dos bombeiros que trabalhava no local e tentou controlar as chamas, morreu na sequência uma paragem cardiorrespiratória, após ter sido internado num hospital da cidade.

Em Portugal, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, declarou à Agência Lusa que recebeu "com consternação" a notícia do incêndio, exprimiu "solidariedade" com os envolvidos e lamentou a morte verificada.

Desde que abriu ao público, o Museu da Língua Portuguesa já recebeu mais de três milhões de visitantes.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.