sicnot

Perfil

Cultura

Artistas e políticos lamentam morte do "herói" da música

Os mundos da arte e da política inundaram hoje as redes sociais com o anúncio da morte do cantor David Bowie, lamentando a perda do "herói" da música.

reuters

s reações surgiram após o filho do cantor ter anunciado, no Facebook do próprio Bowie, o falecimento do autor de "Ziggy Stardust", que morreu no domingo aos 69 anos, após uma batalha de ano e meio contra o cancro.

Na área da política, o primeiro-ministro britânico, o conservador David Cameron, encabeçou as condolências, ao publicar no Twitter que cresceu "a escutar e a ver o génio «pop» David Bowie".

"Era um maestro da reinvenção, que sempre a fez bem. Uma grande perda", escreveu.

Também o ministro da Economia, George Osborne, confessou que as canções de Bowie serviram de "pano de fundo" à sua própria vida, manifestando-se "orgulhoso" por o cantor ter sido um "ícone da criatividade britânica".

Por seu lado, em declarações à BBC, o líder trabalhista, Jeremy Corbyn, considerou que Bowie foi "um grande músico e grande artista".

"Quando ouvi a notícia da morte fiquei muito, muito triste. «Life On Mars" veio-me à cabeça. Canção maravilhosa, pessoa maravilhosa", afirmou.

No mesmo programa da BBC, o arcebispo de Cantuária, Justin Welby, admitiu ser fã do cantor desde os anos 1970 e que se sentava a ouvir os discos de Bowie "sem parar".

Em França, o primeiro-ministro Manuel Valls considerou Bowie "um artista fora de série" e "um herói do rock".

"David Bowie: um artista de múltiplas caras que revolucionou a música. Um herói do rock que nos fez vibrar", sublinhou Valls, que destacou como uma das "obras-primas" do cantor o álbum de 1972 "The Rise and Fall of Ziggy Stardust The Spider From Mars".

Ainda em França, o chefe de redação da revista musical francesa Les Inrockuptibles, Jean-Daniel Beauvallet, defendeu que Bowie "influenciou todo o «pop» moderno dos últimos 40 anos".

"Nos anos 1970 publicou um punhado de álbuns fundamentais, dando todas as pistas desde o «rock» decadente à «pop» eletrónica. (...) Criou a matriz da «pop» moderna", sustentou.

"RIP David. Amei a tua música. Amei-te"", escreveu, por seu lado, o ator australiano Russel Crowe, destacando o sétimo álbum do cantor "Pin Ups".

O também ator Mark Ruffalo expressou nas redes sociais "tristeza" pela morte de um "pai dos «freaks»" e "cantor lendário".

O comediante e ator Ricky Gervais, que chegou a convencer o seu ídolo para aparecer num episódio da série que produz "Extras", lamentou a morte de Bowie a poucas horas de apresentar os Globos de Ouro.

"Perdemos um herói", disse Gervais, que mostrou nas redes sociais uma fotografia dos anos 1990 em que surge disfarçado com o "alter ego" de Bowie ("Ziggy Stardust"), tirada da série "Comedy Lab", em que o ator desempenhou o papel de impostor do cantor

  • Bowie, um dos músicos mais influentes de sempre
    7:29

    David Bowie 1947-2016

    O músico britânico morreu este domingo depois de 18 meses a lutar contra o cancro. "Blackstar", o 25º álbum da carreira, foi lançado na sexta-feira, dia em que o músico completou 69 anos. Miguel Cadete, diretor da revista Blitz, analisou na SIC Notícias a carreira de David Bowie, realçando a versatilidade do artista e a capacidade criativa que o marcou até ao fim, com o lançamento de um último trabalho nas vésperas da sua morte.

  • O adeus de David Bowie, artista versátil e único
    4:59

    David Bowie 1947-2016

    O camaleónico David Bowie, que morreu este domingo, conjugou na sua carreira uma enorme e invulgar originalidade e talento. Um dos músicos mais influentes de sempre, com um estilo ímpar que nunca deixou de reinventar, David Bowie tinha completado 69 anos na passada sexta-feira. O cantor britânico aproveitou a data para lançar o último álbum da carreira. David Bowie fica para sempre na história da música.

  • Momentos da carreira do camaleónico Bowie
    2:43

    David Bowie 1947-2016

    Ziggy Stardust, Heroes e Let's Dance são apenas alguns dos temas incontornáveis da brilhante carreira de David Bowie. Referência mundial na história da música, o cantor britânico será sempre lembrado pela sua enorme criatividade e versatilidade, que lhe valeram o cognome de camaleão. Bowie morreu este domingo, aos 69 anos, após uma batalha de 18 meses contra o cancro.

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • Homem e cão resgatados das águas na Andaluzia
    0:32