sicnot

Perfil

Cultura

Dois nomes que vão atuar nos Grammy vêm a Portugal este ano

O disco "25" ainda não pode ser nomeado para a edição deste ano dos prémios Grammy. Mas Adele, que até vai dar dois concertos em Portugal a 21 e 22 de maio, não vai faltar à cerimónia, e é já um dos nomes indicado para atuar.

© Danny Moloshok / Reuters

A CBS já anunciou os primeiros nomes que vão subir ao palco, no dia 15 de fevereiro. Adele é, então, uma das confirmações. A cantora que, por casa, já tem 10 prémios Grammy, segundo noticia o site TIME.

Kendrick Lamar, que faz parte do cartaz do festival Super Bock Super Rock deste ano, também vai mostrar, em palco, em que é que se traduz, afinal, o disco "To Pimp A Butterfly", lançado a 16 de março do ano passado. O rapper norte-americano tem 11 nomeações: disco do ano, música do ano, melhor disco rap, melhor rap/música de colaboração, melhor duo/atuação pop, melhor gravação de dança e melhor vídeoclipe.

Do Canadá para os Grammy vai The Weeknd, indicado para sete prémios, e o grupo de música country norte-americano, Little Big Town, quatro vezes nomeado por "Girls Crush".

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Fitch retira Portugal do "lixo"
    2:20
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".