sicnot

Perfil

Cultura

Dois nomes que vão atuar nos Grammy vêm a Portugal este ano

O disco "25" ainda não pode ser nomeado para a edição deste ano dos prémios Grammy. Mas Adele, que até vai dar dois concertos em Portugal a 21 e 22 de maio, não vai faltar à cerimónia, e é já um dos nomes indicado para atuar.

© Danny Moloshok / Reuters

A CBS já anunciou os primeiros nomes que vão subir ao palco, no dia 15 de fevereiro. Adele é, então, uma das confirmações. A cantora que, por casa, já tem 10 prémios Grammy, segundo noticia o site TIME.

Kendrick Lamar, que faz parte do cartaz do festival Super Bock Super Rock deste ano, também vai mostrar, em palco, em que é que se traduz, afinal, o disco "To Pimp A Butterfly", lançado a 16 de março do ano passado. O rapper norte-americano tem 11 nomeações: disco do ano, música do ano, melhor disco rap, melhor rap/música de colaboração, melhor duo/atuação pop, melhor gravação de dança e melhor vídeoclipe.

Do Canadá para os Grammy vai The Weeknd, indicado para sete prémios, e o grupo de música country norte-americano, Little Big Town, quatro vezes nomeado por "Girls Crush".

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.