sicnot

Perfil

Cultura

"Livro do desassossego" foi escrito por três heterónimos de Fernando Pessoa, revela investigadora

A catedrática de Literatura Teresa Rita Lopes defende, numa obra que é apresentada na quinta-feira, em Lisboa, que o "Livro do Desassossego", de Bernardo Soares, um dos heterónimos de Fernando Pessoa, corresponde na realidade a "três monólogos".

"No plural? - Será a primeira surpresa [sobre a obra]. É verdade: o 'Livro [do Desassossego]' é três livros, assinados por três autores, perfeitamente diferenciados: o primeiro, por Fernando Pessoa que, a certa altura, nomeou Vicente Guedes seu representante, o segundo, pelo Barão de Teive, e o terceiro, por Bernardo Soares", explicou à Lusa a autora.

"Os três monólogos do(s) Livro(s) do Desassossego são agora restituídos aos seus verdadeiros autores, num gesto que resgata as intenções de Pessoa", realçou a autora.

"Não há apenas um 'Livro do Desassossego', mas antes três Livros do Desassossego, que dão voz (e palavras) a três autores distintos: o jovem artista Vicente Guedes, decadente, 'dandy' e 'blasé'; o frio Barão de Teive, dono de uma surpreendente austeridade de pensamento e de linguagem; e Bernardo Soares, que, apesar de ser um simples ajudante de guarda-livros da Baixa lisboeta, se tornou o semi-heterónimo pessoano mais conhecido e reconhecido, desde que se manifestou pela primeira vez, em 1929", reforçou à Lusa fonte da Global Editora, que chancela a obra.

"Apresentar os escritos de Vicente Guedes como se tivessem saído da pena de Bernardo Soares -- equívoco em que caem várias edições anteriores desta obra -- equivale a confundir as falas de diferentes atores e a criar uma cacofonia literária", acrescentou a mesma fonte editorial.

A obra "Livro(s) do desassossego", de Teresa Rita Lopes, é apresentada na quinta-feira, às 18:30, na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, numa conversa entre a autora e o poeta e crítico literário António Cortez.

Também poetisa, dramaturga, investigadora literária e ensaísta, Teresa Rita Lopes nasceu em Faro, mas, em plena ditadura do Estado Novo (1933-1974), decidiu radicar-se em Paris, onde foi professora na Universidade da Sorbonne Nouvelle, entre 1969 e 1982.

Após o 25 de Abril de 1974, regressou a Portugal, tendo participado na fundação da Universidade Nova de Lisboa, onde, desde 1979, leciona Literaturas Comparadas.

Colabora regularmente em diversos jornais e revistas nacionais e internacionais, e é apontada como uma das especialistas de Fernando Pessoa, tendo publicado vários escritos inéditos do poeta e coorganizado edições críticas da sua obra.

Tanto no domínio do ensaio e do teatro, como no universo do conto e da poesia, a escritora obteve já diversas distinções, nomeadamente o Prémio Cidade de Lisboa (1988), o Prémio Eça de Queiroz (1997), o Prémio Pen Club (1990) e o Grande Prémio de Ensaio UNICER/Letras e Letras (1989).

Lusa

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.