sicnot

Perfil

Cultura

CDS-PP questiona Augusto Santos Silva sobre condecoração de Tony Carreira

O CDS-PP questionou hoje o Ministério dos Negócios Estrangeiros sobre a posição do Governo e da embaixada em Paris acerca da condecoração do cantor Tony Carreira, assim como do teor de declarações do próprio ministro Augusto Santos Silva.

(Arquivo)

(Arquivo)

Os centristas querem esclarecer porque é que a embaixada de Portugal não terá sido disponibilizada para a cerimónia, o motivo pelo qual o embaixador esteve ausente da entrega da condecoração atribuída pelo Estado francês, mas também acerca do que o ministro dos Negócios Estrangeiros disse sobre o assunto.

"Não considera V.Exa. que as declarações reproduzidas sobre este assunto podem ser entendidas como um juízo pessoal, depreciativo ou preconceituoso em relação à cultura popular portuguesa?", questionam 11 deputados do CDS-PP, incluindo o líder parlamentar, Nuno Magalhães, e a candidata à liderança do partido, Assunção Cristas.

Augusto Santos Silva disse ao Diário de Notícias que um dos seus sonhos enquanto sociólogo era assistir a um concerto de Tony Carreira.

Os parlamentares do CDS-PP questionam se a imagem da diplomacia terá sido "afetada por este incidente" e que diligências Santos Silva tenciona realizar, nomeadamente junto das comunidades portuguesas, para reparar a situação.

O Estado francês atribuiu a Tony Carreira o título de Cavaleiro da Ordem de Artes e Letras.

A 15 de janeiro, quando recebeu a medalha, Tony Carreira escreveu na sua conta na rede social de Facebook (com mais de 700 mil seguidores): "Quando tomei conhecimento desta condecoração, pedi se seria possível entregarem-me a medalha na embaixada de Portugal em Paris (a embaixada do meu país), pedido recusado pelo Sr. Embaixador de Portugal em Paris. Tive pena, fiquei triste, mas não mexe em nada com o meu orgulho em ser português".

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.