sicnot

Perfil

Cultura

Academia dos Óscares quer tornar discursos de vitória mais interessantes

A Academia dos Óscares anunciou na segunda-feira uma mudança na cerimónia de entrega dos prémios com o objetivo de tornar mais interessantes os discursos dos vencedores, frequentemente limitados à nomeação apressada de nomes a quem querem agradecer.

© Reuters Photographer / Reuter

Os premiados vão continuar a ter 45 segundos para falar mas poderão optar por exibir num ecrã os nomes daqueles a quem querem agradecer.

A lista de nomes passará nos ecrãs quando ganharem o Óscar, permitindo-lhes usar o tempo para expressar ideias e pensamentos que vão além do mero agradecimento a colegas, amigos ou familiares.

A novidade foi anunciada ela Academia de Hollywood que atribui os Óscares (os prémios do cinema norte-americano) na segunda-feira, durante um encontro que reuniu a maioria dos nomeados de 2016.

As nomeações deste ano geraram polémica por não voltar a haver atores e realizadores negros na lista de possíveis premiados.

A presidente da Academia, Cheryl Boone Isaacs, fez uma breve alusão à polémica no encontro de segunda-feira, falando num "elefante na sala".

"Este ano, todos sabemos que há um elefante na sala. Mas pedi ao elefante para sair", afirmou, sob aplausos, acrescentando: "Hoje [o encontro] é sobre o vosso incrível trabalho no ecrã e por trás das câmaras".

No entanto, alguns presentes abordaram o assunto, entre eles, o ator Sylvester Stallone, que disse ter ponderado boicotar a cerimónia de entrega dos prémios, a 28 de fevereiro.

Stallone, de 69 anos, está nomeado para o Óscar de melhor ator secundário por "Creed", do realizador negro Ryan Coogler e que tem no principal papel Michael B. Jordan, um ator que também é negro.

Sylvester Stallone contou que abordou o assunto com Ryan Coogler, acrescentando que acredita que a sua nomeação se deve ao realizador e que considera que Michael B. Jordan o ajudou a melhorar o seu trabalho.

"Coogler disse-me: 'vai lá, tenta representar o filme, e nós pensamos que tu mereces. Eventualmente, as coisas mudarão'", afirmou Stallone.

A 22 de janeiro, a Academia dos Óscares anunciou que vai tomar uma série de medidas "históricas" para se abrir mais às mulheres e minorias étnicas, para acalmar a polémica sobre a falta de diversidade tanto dos membros como das escolhas cinematográficas.

Depois de uma "votação unânime (...), a Academia vai tomar medidas históricas para aumentar a visibilidade", designadamente "visando uma duplicação até 2020 dos seus membros femininos ou provenientes" das minorias étnicas, segundo um comunicado distribuído naquele dia.

"A Academia vai liderar o movimento e não esperar que o setor supere o atraso" em termos de diversidade, declarou Cheryl Boone Isaacs, ela própria negra,que tinha declarado dias antes que tinha "o coração partido e frustração" pela lentidão das mudanças na instituição.

Entretanto, várias personalidades do cinema decidiram já boicotar a cerimónia de entrega dos prémios deste ano, como o realizador Spike Lee, que recebeu este ano um Óscar de honra pela sua carreira, e os atores Will Smith e a esposa, Jada Pinkett-Smith.

Lusa

  • Lei existe há quatro anos mas não tem regulamentação
    2:03
  • Denúncia de maus tratos a cães no canil municipal de Elvas
    2:24

    País

    O Grupo de Intervenção e Resgate Animal denunciou nas redes sociais alegados maus tratos a animais no canil municipal de Elvas. As imagens mostram uma cadela com uma corda ao pescoço. A autarquia abriu um inquérito para averiguar o caso, suspendendo também o trabalho dos voluntários no canil.

  • Há cada vez menos portugueses

    País

    A população em Portugal diminuiu no ano passado, pelo oitavo ano consecutivo, já que o número de mortes continua a ser superior ao de nascimentos, revelam dados hoje divulgados pelo INE.

  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Ovibeja aposta este ano na internacionalização da agricultura
    2:07

    País

    A Ovibeja começou esta quinta-feira e este ano aposta na internacionalização dos produtos agrícolas do Alentejo. Centenas de expositores esgotam o certame, que é uma monstra da agricultura portuguesa. António Costa, na sexta-feira, e Marcelo Rebelo de Sousa, no sábado, são alguns dos políticos com a presença marcada em Beja.

  • Le Pen vai à pesca
    0:35

    Eleições França 2017

    Marine Le Pen, candida à presidência de França fez esta quinta-feira uma "pausa" na campanha eleitoral e aproveitou para ir à pesca. A candidata navegou num barco de pesca no Mediterrâneo.

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.