sicnot

Perfil

Cultura

Serões Musicais no Palácio da Pena, em Sintra, começam hoje

O Quarteto de Cordas de Matosinhos, com o contrabaixista Pedro Vares e o pianista António Rosado, abre hoje o ciclo Serões Musicais, no Palácio da Pena, em Sintra.

Mike Corder

O concerto de abertura intitula-se "Quadros da natureza", e o programa é constituído por peças de Schubert, Mendelssohn, Smetana, Dvorak e Vianna da Motta.

"A diversidade de leituras sobre a natureza serve de mote à atuação. O concerto pretende, assim, ilustrar esta diversidade através de um programa de música de câmara", adiantou à Lusa fonte da Parques de Sintra-Monte da Lua (PSML), entidade que gere o antigo palácio real.

Todos os concertos deste ciclo, que decore até 04 de março, têm lugar no salão nobre do Palácio da Pena, acontecem pelas 21:00, e são precedidos de uma comunicação pela musicóloga Luísa Cymbron, que contextualizará cada atuação.

O ciclo apresentará "um repertório romântico muito próximo das sonoridades que lá se terão ouvido no século XIX, com direção artística de Massimo Mazzeo", diretor do Divino Sospiro - Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal, segundo a mesma fonte.

O ciclo deste ano coincide com a celebração dos 200 anos do nascimento do rei D. Fernando, marido da rainha D. Maria II, responsável pela arquitetura do parque de Sintra e do Palácio da Pena, que mandou erguer sobre um antigo convento jerónimo, que adquiriu em 1838, assim como do "chalet" da condessa, dentro do parque, entre outras iniciativas.

O segundo concerto, intitulado "Virgens Alpinas", realiza-se no dia 20, e conta com a participação da soprano Bárbara Barradas, da meio-soprano Liliana de Sousa e do tenor João Terleira, que serão acompanhados ao piano por João Paulo Santos.

No dia 27, realiza-se o serão "A trompa maravilhosa do romantismo", que recorre ao "título de uma importante coleção de textos e canções populares alemãs do início do século XIX, para demonstrar o papel da trompa enquanto elemento de ligação entre o homem e a natureza".

Atuam o barítono André Baleiro, o trompista Paulo Guerreiro e o pianista João Paulo Santos.

"Um suplemento do Chiado: A Sintra queirosiana", no dia 04 de março, encerra os Serões Musicais no Palácio da Pena, um concerto no qual se procura "transformar em música a visão do [escritor] Eça de Queirós sobre Sintra".

A edição do ano passado dos Serões Musicais contabilizou 310 espetadores, segundo dados da PSML, que, este ano, "prevendo uma grande procura", elevou a lotação de cada concerto a cem lugares, mais 30 do que no ano passado.

O Palácio da Pena foi construído sob o olhar atento do monarca, que aproveitou as ruínas do antigo convento e ampliou a construção em 1848, transformando-o em residência de verão da família real.

O palácio e o parque circundante contaram com direção de obra do barão Wilhelm von Eschwege.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão