sicnot

Perfil

Cultura

"The Big Short" e "O Caso Spotlight" premiados pelos argumentistas norte-americanos

Os filmes "The Big Short - A queda de Wall Street" e "O Caso Spotlight" foram os principais premiados pelo Sindicato dos Argumentistas norte-americanos, durante a cerimónia que decorreu no sábado, em Los Angeles e Nova Iorque (EUA).

© Mike Blake / Reuters

"The Big Short - A queda de Wall Street", uma comédia negra sobre o 'crash' do sistema financeiro em 2008, conquistou o galardão de melhor argumento adaptado, enquanto "O Caso Spotlight" venceu na categoria de melhor argumento original.

Os prémios, atribuídos a duas semanas dos Óscares, são fruto da votação de 1.200 membros do sindicato (Writers Guild, em inglês) e foram anunciados em cerimónias simultâneas, na Century Plaza em Los Angeles e na Edison Ballroom em Nova Iorque.

O galardão de "O Caso Spotlight", que relata o trabalho de investigação de uma equipa de jornalistas a um caso de padres pedófilos, foi atribuído pelo trabalho dos argumentistas Josh Singer e Tom McCarthy, e ficou à frente dos argumentos de "A ponte dos espiões", "Sicario - Infiltrado", "Straight outta compton" e "Trainwreck".

Este filme, protagonizado por Mark Ruffalo, Michael Keaton e Rachel McAdams, está nomeado para seis Óscares.

"The Big Short - A queda de Wall Street", nomeado para cinco Óscares e escrito por Charles Randolph e Adam McKay, ultrapassou "Carol", "Perdido em Marte", "Steve Jobs" e "Trumbo".

O prémio para melhor argumento de documentário foi entregue a Alex Gibney pelo filme for "Going Clear: Scientology and the Prison of Belief", sobre a história da igreja da cientologia e do seu fundador, L Ron Hubbard.

Nas categorias televisivas, a série "Better Call Saul venceu o prémio de melhor episódio dramático com o segmento "Uno", escrito por Vince Gilligan e Peter Gould. "Silicon Valley" conquistou o prémio de melhor episódio de comédia televisiva com "Sand Hill Shuffle", escrito por Clay Tarver.

A série "Mad Men" venceu o prémio de melhor drama televisivo e "Veep" o de melhor série de comédia.

Mais do que os Globos de Ouro, distribuídos pela imprensa internacional, os prémios dos diferentes sindicatos profissionais do cinema norte-americano (atores, realizadores, produtores e argumentistas), cujos membros fazem frequentemente parte dos eleitores nos Óscares, são indicadores fiáveis na corrida às preciosas estatuetas.

A cerimónia de entrega dos Óscares está agendada para 28 de fevereiro.

Lusa

  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.