sicnot

Perfil

Cultura

Museu de Auschwitz lança corretor para expressão "campo da morte polaco"

O museu do antigo campo de concentração nazi Auschwitz-Birkenau anunciou hoje o lançamento de uma aplicação para corrigir a expressão "campo polaco", usada frequentemente pelos 'media' estrangeiros para designar campos de morte instalados pelos nazis na Polónia ocupada.

O corretor "Remember", que pode ser descarregado em http://correctmistakes.auschwitz.org a partir da página digital do museu, procura num texto expressões como "campos de morte polacos" ou "campos de concentração polacos" e propõe uma fórmula historicamente correta.

De acordo com um comunicado do museu, este corretor é compatível com os editores de texto e sistemas informáticos mais difundidos, em 16 versões linguísticas. O número de línguas deve ser alargado em breve.

Esta iniciativa surge um dia depois do anúncio pelo governo conservador polaco da proposta de introdução de uma pena - de até cinco anos de prisão - pela utilização daquelas expressões. Nos últimos anos, Varsóvia pede sistematicamente a retificação destas expressões.

O projeto prevê a pena pela "atribuição pública, ignorando os factos, à República da Polónia ou à nação polaca de ter sido corresponsável" pelos crimes do III Reich.

Cerca de 1,1 milhões de pessoas, incluindo um milhão de judeus, foram assassinadas pelos nazis no campo de Auschwitz-Birkenau entre 1940 e 1945. As restantes vítimas foram sobretudo polacos não-judeus, ciganos e prisioneiros de guerra soviéticos.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.