sicnot

Perfil

Cultura

Tolentino Mendonça tem um sonho que é ver o silêncio Património Imaterial

O vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa José Tolentino Mendonça disse hoje ter um sonho, que é o de ver um dia o silêncio ser consagrado como Património Imaterial da Humanidade.

Na conferência de abertura do Correntes d'Escritas deste ano, na Póvoa de Varzim, no distrito do Porto, Tolentino Mendonça afirmou, sob o título de "O silêncio dos livros", que "o silêncio também é uma escola de paz, de reconfiguração do real".

"Nesse sentido, um sonho meu que aqui partilho é ver um dia o silêncio declarado Património Imaterial da Humanidade. Porque nós declaramos património as grandes construções, o canto, todas as coisas associadas à expressão, e esquecemo-nos que o silêncio também é uma forma de expressão extraordinária e que, no silêncio, experimentamos muitas vezes uma comunhão, uma proximidade, que nenhuma palavra do mundo é capaz de nos fazer sentir", disse o também consultor do Conselho Pontifício para a Cultura.

Perante um Cineteatro Garrett cheio, Tolentino Mendonça disse que as sociedades ocidentais estão a atravessar uma "silenciosa mudança de paradigma": "O excesso de emoções, de informação, de expectativas, de solicitações, está a atropelar a pessoa e a empurrá-la para um estado de fadiga de onde é cada vez mais difícil retornar".

Ao mesmo tempo e nesse contexto, Tolentino Mendonça recorreu a Susan Sontag por diversas vezes, em particular para abordar o discurso mediático: "Nós vivemos na sociedade do comentário e vemos hoje isso levado quase à loucura no espaço público português, onde, do futebol à política à cultura, vivemos na sociedade do comentário".

O também escritor sublinhou que "os livros estão cheios de memória, dos cheiros, dos tatos, daquilo que se dá e se recebe e não recebe, dos sabores, das visões [que iluminam ou aterrorizam]".

Questionado pelo político Manuel Alegre, que participa na primeira mesa redonda de hoje, sobre, no domínio do silêncio, se o derradeiro poema não é o que fica por dizer ou escrever, Tolentino Mendonça respondeu: "Um escritor é um bicho silencioso. Mesmo um animal político como o Manuel Alegre é um bicho silencioso como poeta. Seguramente porque é da ruminação desse silêncio que o encontro profundo com a palavra pode acontecer".

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC