sicnot

Perfil

Cultura

Tolentino Mendonça tem um sonho que é ver o silêncio Património Imaterial

O vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa José Tolentino Mendonça disse hoje ter um sonho, que é o de ver um dia o silêncio ser consagrado como Património Imaterial da Humanidade.

Na conferência de abertura do Correntes d'Escritas deste ano, na Póvoa de Varzim, no distrito do Porto, Tolentino Mendonça afirmou, sob o título de "O silêncio dos livros", que "o silêncio também é uma escola de paz, de reconfiguração do real".

"Nesse sentido, um sonho meu que aqui partilho é ver um dia o silêncio declarado Património Imaterial da Humanidade. Porque nós declaramos património as grandes construções, o canto, todas as coisas associadas à expressão, e esquecemo-nos que o silêncio também é uma forma de expressão extraordinária e que, no silêncio, experimentamos muitas vezes uma comunhão, uma proximidade, que nenhuma palavra do mundo é capaz de nos fazer sentir", disse o também consultor do Conselho Pontifício para a Cultura.

Perante um Cineteatro Garrett cheio, Tolentino Mendonça disse que as sociedades ocidentais estão a atravessar uma "silenciosa mudança de paradigma": "O excesso de emoções, de informação, de expectativas, de solicitações, está a atropelar a pessoa e a empurrá-la para um estado de fadiga de onde é cada vez mais difícil retornar".

Ao mesmo tempo e nesse contexto, Tolentino Mendonça recorreu a Susan Sontag por diversas vezes, em particular para abordar o discurso mediático: "Nós vivemos na sociedade do comentário e vemos hoje isso levado quase à loucura no espaço público português, onde, do futebol à política à cultura, vivemos na sociedade do comentário".

O também escritor sublinhou que "os livros estão cheios de memória, dos cheiros, dos tatos, daquilo que se dá e se recebe e não recebe, dos sabores, das visões [que iluminam ou aterrorizam]".

Questionado pelo político Manuel Alegre, que participa na primeira mesa redonda de hoje, sobre, no domínio do silêncio, se o derradeiro poema não é o que fica por dizer ou escrever, Tolentino Mendonça respondeu: "Um escritor é um bicho silencioso. Mesmo um animal político como o Manuel Alegre é um bicho silencioso como poeta. Seguramente porque é da ruminação desse silêncio que o encontro profundo com a palavra pode acontecer".

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Casa Madonna di Fatima em Roma é um lar de idosos com 9 irmãs portuguesas
    4:29

    Mundo

    A mais antiga igreja dedicada à Senhora de Fátima em Roma tem mais de 50 anos. Foi construída pelas franciscanas hospitaleiras do Imaculado Coração, uma congregação fundada em Portugal. Hoje, as religiosas portuguesas gerem um lar na mesma rua, mas o templo foi entregue a uma congregação italiana.