sicnot

Perfil

Cultura

Carlos Vargas é o novo presidente do OPART, que tutela o Teatro S. Carlos

O Conselho de Ministros nomeou o novo conselho de administração do Organismo de Produção Artística (OPART) que tutela, entre outros, o Teatro de S. Carlos, que passa a ser presidido por Carlos Manuel dos Santos Vargas, foi hoje divulgado.

Teatro Nacional de São Carlos.

Teatro Nacional de São Carlos.

www.tnsc.pt

O gestor Carlos Vargas exercia desde março do ano passado o cargo de diretor-geral do OPART, que tutela o Teatro Nacional de S. Carlos, a respetiva Orquestra Sinfónica Portuguesa e a Companhia Nacional de Bailado.

"O Conselho de Ministros decidiu também a nomeação do novo conselho de administração do Organismo de Produção Artística, E.P.E., que passa a ser liderado pelo presidente Carlos Manuel dos Santos Vargas e os vogais Sandra Maria Albuquerque e Castro Simões e Samuel Costa Lopes do Rego", lê-se no comunicado hoje divulgado.

Segundo a mesma fonte, estas nomeações, feitas sob proposta dos ministros das Finanças e da Cultura, "foram atestadas através do parecer favorável" da Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CRESAP).

Carlos Vargas, de 49 anos, já pertenceu ao conselho de administração do OPART e foi administrador do Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, de 2011 até 2014.

Licenciado em Línguas e Literaturas Clássicas, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Carlos Vargas deu aulas no mestrado de Gestão Cultural do ISCTE/Instituto Universitário de Lisboa, como conferencista convidado, e também no mestrado "Práticas Culturais para os Municípios", como assistente convidado do departamento de História da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Quanto à experiência profissional, Carlos Vargas exerceu as funções de assessor da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República (junho de 2010 a agosto 2011), foi vogal do conselho de administração do OPART (2007-2010), vogal do conselho diretivo do Teatro Nacional de São Carlos (2004-2007), subdiretor da Companhia Nacional de Bailado (1997-2004), administrador liquidatário do Instituto Português do Bailado e da Dança (1998-2001) e vogal da comissão executiva do Instituto Português do Bailado e da Dança (1996-1998), entre outras.

Samuel Rego foi diretor-geral das Artes até janeio de 2015, funções que exercia desde 2011, quando rendeu no cargo João Aidos, e desempenhava, atualmente, as funções de subdiretor-geral do Património Cultural, que acumulou com a direção do Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado, desde julho do ano passado, até ao início de funções da nova diretora, em janeiro.

Do anterior Conselho de Administração, mantém-se a vogal Sandra Maria Castro Simões e saem o historiador de arte José de Monterroso Teixeira, que exercia as funções de presidente desde janeiro do ano passado, e o pianista Adriano Jordão, que era vogal.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.