sicnot

Perfil

Cultura

TV chinesa distingue comida portuguesa

A principal cadeia de televisão da China, a CCTV, distinguiu hoje a comida tradicional portuguesa numa reportagem difundida no programa "Weidao" ("Sabores"), com o único chef português estabelecido em Pequim, Paulo Quaresma.

O "Camões" é um restaurante localizado num hotel de cinco estrelas do centro de Pequim e propriedade de um magnata de Macau

O "Camões" é um restaurante localizado num hotel de cinco estrelas do centro de Pequim e propriedade de um magnata de Macau

legendalehotel.com

Durante o registo, de dez minutos, Paulo Quaresma começa por confecionar um arroz de marisco, enquanto a repórter traduz para chinês os truques daquela receita "bem portuguesa".

"Nós [portugueses] adoramos marisco, devido à nossa extensa costa marítima", explica o chef'.

A cena passa-se no "Camões", restaurante localizado num hotel de cinco estrelas do centro de Pequim e propriedade de um magnata de Macau.

Aberto em 2008, o espaço distingue-se pela decoração interior, com painéis de azulejo que evocam episódios da biografia do autor de Os Lusíadas.

"Apesar de Portugal ser pequeno, vivemos junto ao mar, e, por isso, o nosso contacto com culturas estrangeiras foi estabelecido inicialmente por via marítima", conta Paulo Quaresma à jornalista chinesa.

Com 20 anos de profissão, o 'chef' português chegou a Pequim em 2010, onde entretanto casou com uma mulher chinesa e é pai de um rapaz já com três anos.

"Em casa, só em dias especiais é que cozinho comida portuguesa", admite Paulo à CCTV. "Em Portugal temos um dizer: 'Casa de ferreiro, espeto de pau'", justifica.

Em Pequim, sede de um município com mais de 21 milhões de habitantes, vivem cerca de 130 portugueses. Em 2014, abriu um segundo restaurante português na cidade, o "Dom Frango", mas o chef é chinês.

Já na capital económica da China, Xangai, existem três restaurantes de culinária portuguesa.

A reportagem termina com Paulo, acompanhado do filho e da mulher, e mais um grupo de portugueses sentado numa das mesas do "Camões", onde, para além do arroz de marisco, são servidos pastéis de bacalhau e chouriço grelhado e pastéis de nata.

Lusa

  • Lei existe há quatro anos mas não tem regulamentação
    2:03
  • Denúncia de maus tratos a cães no canil municipal de Elvas
    2:24

    País

    O Grupo de Intervenção e Resgate Animal denunciou nas redes sociais alegados maus tratos a animais no canil municipal de Elvas. As imagens mostram uma cadela com uma corda ao pescoço. A autarquia abriu um inquérito para averiguar o caso, suspendendo também o trabalho dos voluntários no canil.

  • Há cada vez menos portugueses

    País

    A população em Portugal diminuiu no ano passado, pelo oitavo ano consecutivo, já que o número de mortes continua a ser superior ao de nascimentos, revelam dados hoje divulgados pelo INE.

  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Ovibeja aposta este ano na internacionalização da agricultura
    2:07

    País

    A Ovibeja começou esta quinta-feira e este ano aposta na internacionalização dos produtos agrícolas do Alentejo. Centenas de expositores esgotam o certame, que é uma monstra da agricultura portuguesa. António Costa, na sexta-feira, e Marcelo Rebelo de Sousa, no sábado, são alguns dos políticos com a presença marcada em Beja.

  • Le Pen vai à pesca
    0:35

    Eleições França 2017

    Marine Le Pen, candida à presidência de França fez esta quinta-feira uma "pausa" na campanha eleitoral e aproveitou para ir à pesca. A candidata navegou num barco de pesca no Mediterrâneo.

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.