sicnot

Perfil

Cultura

Manila quer proibir espetáculos de Madonna por desrespeito da bandeira nacional

As Filipinas anunciaram hoje que pretendem proibir todos os concertos de Madonna no arquipélago, por esta ter "desrespeitado" a bandeira nacional num dos seus espetáculos realizados esta semana em Manila.

© Reuters Photographer / Reuter

Os meios de comunicação social divulgaram vídeos efetuados por espetadores que mostram a cantora dançando no palco com a bandeira filipina sobre os ombros. Não se sabe se as imagens datam de quarta ou quinta-feira.

"(O palácio presidencial de) Malacanang quer proibir a vencedora dos Grammy Awards e 'rainha do pop' Madonna de dar espetáculos nas Filipinas por ter desrespeitado a bandeira filipina num dos seus concertos", disse o porta-voz da Presidência, Herminio Coloma, à agência de notícias France Presse.

A lei de 1998 pune com prisão por um ano o uso da bandeira filipina num traje ou disfarce.

Esta é a segunda polémica da cantora de 57, com sucessos mundiais como "Like a Virgin", na sua digressão"Rebel Heart" [Coração Rebelde] pelas Filipinas.

Na quarta-feira, os bispos filipinos apelaram aos fiéis para que boicotassem os seus concertos, argumentando que os mesmos são obra do diabo.

As Filipinas "e todos aqueles que amam a Deus devem evitar o pecado e as ocasiões de pecado", escreve o arcebispo Dom Ramon Arguelles, em comunicado publicado no 'site' oficial da Conferência dos Bispos Católicos das Filipinas.

O arcebispo Arguelles já tinha feito uma campanha contra a visita de Lady Gaga a Manila em 2012, dizendo que também ela era emissária de Satanás.

Os bispos católicos das Filipinas, onde 80% dos habitantes são católicos devotos, são conhecidos pelo seu conservadorismo e não hesitam em dar a sua opinião sobre os mais diversos temas.

Um dia antes, o Arcebispo de Singapura tinha divulgado que não gostava de Madonna e advertiu os fiéis contra aqueles que "denigrem e insultam a religião", a alguns dias do concerto da estrela pop na cidade-estado.

Lusa

  • Marcar cedo e resistir (ou como Portugal venceu Marrocos)

    Mundial 2018 / Portugal

    A seleção nacional alcançou hoje a primeira vitória no Mundial 2018, frente a Marrocos, em Moscovo. Cristiano Ronaldo (outra vez) marcou logo aos quatro minutos. Depois, Portugal pouco mais fez senão aguentar as investidas dos marroquinos, que ficam desde já afastados dos oitavos de final.

  • Fernando Santos dá um puxão de orelhas à equipa
    1:57
  • E vão quatro de Ronaldo
    1:58
  • Ronaldo, o motivador
    3:23
  • Os "memes" do desempenho de Cristiano Ronaldo frente a Marrocos
    1:25
  • Cristiano Ronaldo: o melhor do jogo, o melhor do Mundial, o melhor do mundo

    Mundial 2018 / Portugal

    Apesar da prestação de Rui Patrício na defesa da baliza lusa, Cristiano Ronaldo foi eleito o homem do jogo, pela segunda vez consecutiva, depois de marcar o golo que deu a vitória a Portugal frente a Marrocos. O capitão português ofereceu à equipa os três pontos essenciais para a eventual passagem aos oitavos de final. Mas Ronaldo não fica por aqui. Contas feitas, CR7 é o melhor marcador do Mundial (4 golos em 2 jogos) e já marcou 85 golos por Portugal, feito nunca antes alcançado nem por Eusébio nem por Pauleta. No auge dos 33 anos, há quem diga que Ronaldo "é como o vinho do Porto". Será que ainda vai chegar à marca dos 100? Parece que, para o CR7, nada é impossível.

  • Parecia que Rui Patrício tinha cola nas luvas
    5:40
  • Os momentos descontraídos dos jogadores que estão no Mundial
    1:54
  • Selecionador de Marrocos queixa-se da arbitragem
    1:41
  • Georgina Rodriguez assistiu ao jogo de Portugal e acenou a Ronaldo
    1:05
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O humor russo
    1:32
  • Schulz responde a Trump: "é um especialista em estatísticas criminais"

    Mundo

    "Donald Trump é um especialista em estatísticas criminais: pagamentos a estrelas porno, contactos ilegais com russos e diretores de campanha presos". Foi assim que o deputado alemão Martin Schulz respondeu ao Presidente norte-americano, depois de este ter afirmado várias vezes que a criminalidade na Alemanha aumentou devido à imigração.

    SIC

  • "Vou pedir a alguém que dê esta notícia por mim". Jornalista emociona-se com o caso dos bebés mexicanos separados das famílias
    0:49