sicnot

Perfil

Cultura

Yoko Ono deixou hospital e já regressou a casa

A artista multimédia Yoko Ono, de 83 anos, já regressou a casa depois de ter sido hospitalizada no sábado à noite, com sintomas de gripe, anunciou o filho.

Rebecca Blackwell

"Está na sua casa e a desenvolver as suas atividades habituais", afirma na rede social o filho, Sean Lennon, segundo a AFP.

Yoko Ono, viúva do músico britânico John Lennon, deu entrada no sábado num hospital em Nova Iorque, após um telefonema aos serviços de emergência médica.

A agência noticiosa espanhola Efe, citando o jornal Daily News, afirmou na sexta-feira que Yoko Ono, de 83 anos, encontrava-se no seu apartamento no edifício Dakota quando o serviço de emergência médica recebeu um telefonema.

O colunista Elliot Mintz, amigo da artista, afirmou, também na sexta-feira, que Yoko sentiu sintomas gripais e foi levada ao hospital por conselho médico, acrescentando que se encontra consciente, a falar, e que ainda hoje pode deixar o hospital.

Sean Lennon afirma no "twitter": "Apenas uma gripe. Talvez tenha de me vacinar contra a gripe".

Sean Lennon, também músico, trabalha com a mãe e com um grupo 'pop' japonês, Cibo Matto.

Sobre a possibilidade de a mãe ter tido um ataque cardíaco, Sean Lennon comenta: "O único ataque que Yoko Ono teve foi um ataque de génio! Ela está de facto bem. Obrigado por todos, os votos de pronto restabelecimento".

Lusa

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11