sicnot

Perfil

Cultura

Manuscrito inédito do século XVIII sobre terramoto de 1755 publicado

A edição, pela primeira vez, do manuscrito "Extraordinários sucessos do terramoto 1755: Memória histórica de frei Tomás de Aquino", é apresentado na segunda-feira, em Lisboa, anunciou hoje a autarquia da capital portuguesa.

Pintura de Marquês de Pombal e os planos de reconstrução de Lisboa após o terramoto de 1755.

Pintura de Marquês de Pombal e os planos de reconstrução de Lisboa após o terramoto de 1755.

Reuters

A obra, com transcrição e estudo introdutório de Edite Martins Alberto, do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, é editada com a chancela do Arquivo Municipal de Lisboa, e é apresentada na segunda-feira, às 18:30, por João de Figueirôa-Rego, investigador coordenador da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, no antigo refeitório dos monges, no atual edifício da Assembleia da República, em Lisboa.

A atual edição torna público o manuscrito de frei Tomás de Aquino, intitulado "Memória de extraordinarios sucessos offerecida como signal de eterno agradecimento pela conservação da vida de seus filhos em o Terremoto do 1.º de Novembro de 1755, ao sempre illustre e amavel Pay São Bento, Principe dos Patriarcas...".

"O manuscrito, até agora desconhecido do público, foi redigido em 1758, por frei Tomás de Aquino, e constitui uma preciosa fonte para o conhecimento de Lisboa nos tempos posteriores ao terramoto de 1755", disse à Lusa fonte do arquivo municipal lisboeta.

Em 1758, Francisco Saldanha tornou-se o 3.º cardeal patriarca de Lisboa.

"A publicação de fontes tem sido um dos objetivos do Arquivo Municipal de Lisboa, visando facilitar a investigação e a divulgação do seu acervo documental", segundo a câmara, em comunicado enviado à agência Lusa.

O documento foi redigido por um frade beneditino, e, segundo a edilidade, "encontra-se atualmente emprestado pelo Arquivo Municipal ao Museu da Assembleia da República, onde decorre a exposição comemorativa dos 400 anos de utilização efetiva do espaço", intitulada "O Mosteiro de S. Bento da Saúde: de Casa Religiosa a sede do Parlamento".

O parlamento foi edificado a partir do mosteiro beneditino, que, com a construção incompleta, entrou em funcionamento em 1615, e foi extinto em 1833, ainda por concluir, na sequência da reforma eclesiástica, que antecipou o Édito da Extinção das Ordens Religiosas, e passou a ter funções laicas em 1834, por determinação de D. Pedro IV, que ali instalou as Cortes, constituídas por duas câmaras parlamentares, a dos Deputados e a dos Pares do Reino.

Lusa

  • 260 anos do terramoto de 1755
    1:36

    País

    Há 260 anos, Portugal vivia a maior catástrofe natural de sempre na história do país. O sismo de 1755 fez milhares de vítimas e deixou Lisboa irreconhecível.

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57

    País

    Tondela foi um dos municípios mais atingidos pelo incêndio, deixando dezenas de animais feridos e perdidos no concelho. Várias clínicas veterinárias são agora um porto de abrigo e, em alguns casos, um ponto de encontro. Muitos dos animais chegaram recolhidos por voluntários e a maior parte dos casos são animais que, no momento de aflição, foram soltos pelos donos e salvos pelo instituto de sobrevivência.

  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31