sicnot

Perfil

Cultura

O festival Monstra anima a exibição de filmes com música ao vivo

O Monstra - Festival de Animação de Lisboa organiza, com o Hot Club de Portugal, na terça-feira, uma sessão de cinema, com jazz ao vivo, tocado pelos alunos da Escola Luiz Villas-Boas.

© Agencja Gazeta / Reuters

A sessão tem início às 22:00, no palco do 'Hot', na praça da Alegria, e conta com uma dezena de curtas-metragens de diferentes realizadores, provenientes de países como Canadá, Dinamarca, Estados Unidos, França e Israel.

O diretor artístico do festival, Fernando Galrito, disse à Lusa que a sessão de terça-feira tem um "ingrediente particular, que é um concerto, não só para ouvir mas também para ver". Quanto às músicas selecionadas, a organização da Monstra indicou ao Hot Club para seguirem a banda sonora original dos filmes.

A presidente do HCP, Inês Cunha, explicou à Lusa que a composição e adaptação das melodias, para o concerto, exigiu o pré-visionamento das 'curtas'. A fase seguinte consistiu na escolha dos alunos da escola do 'Hot', "aptos para fazer música", e seguir a cadência dos filmes, projetados em simultâneo.

O diretor artístico da Monstra adianta que o objetivo da sessão é demonstrar "que o cinema de animação não é exclusivo para crianças e que toca todas as artes". Permite ao público habitual do 'Hot' ter contacto com o cinema de animação, explorando "uma linguagem transversal e de transdisciplinaridade que toca ou pode tocar muito as linguagens" da sua preferência, "neste caso o jazz," afirmou.

Para Inês Cunha, a parceria "vai aglutinar, à volta do jazz e das 'curtas', pessoas que, se calhar, não têm a ver com nenhuma das duas áreas, mas que estão curiosas em relação a como aquilo vai funcionar".

Fernando Galrito acredita que a iniciativa pode ser benéfica nos dois sentidos: as pessoas que vêm pela Monstra podem estar "menos sensíveis ao jazz", e assistir "àquele encontro entre filmes e música pode abrir-lhes o apetite para começarem a ir ao Hot Club".

É uma posição partilhada por Inês Cunha que acha interessante "cruzar áreas", acrescentando que é bom para os alunos e para "dinamizar a própria escola": "Põe-nos [aos alunos] a pensar" e "a trabalhar em áreas diferentes e a equacionar aquilo" que "fazem noutra perspetiva". "É sempre interessante, e eles estão animadíssimos," indica a presidente do 'Hot'.

Os frequentadores do clube de jazz podem igualmente, na opinião de Fernando Galrito, encontrar no cinema de animação um "ponto de referência" e começar a vê-lo "com frequência", "não apenas no festival Monstra, mas também ao longo do ano", em outros festivais.

Os organizadores do Monstra programaram outra iniciativa, que liga a animação à música, para o dia 18, no Cinema Ideal, no Chiado, com a exibição de vídeos de artistas portugueses e internacionais, que usaram a animação para ilustrar os seus temas.

O músico português Noiserv, júri da Monstra do ano passado, selecionou os vídeos, entre os quais, se encontram bandas como Sigur Rós, Foals ou Radiohead. O diretor artístico do festival garante que "quem gostar desta temática" vai poder encontrar "filmes muito interessantes."

O Monstra teve início no passado dia 03 e, até ao próximo domingo, apresentará mais de 600 filmes para todos os públicos.

Toda a programação está disponível em www.monstrafestival.com.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.