sicnot

Perfil

Cultura

Restauração do Museu de Língua Portuguesa custará 440 mil euros

A recuperação do Museu da Língua Portuguesa e da Estação da Luz, que sofreram um incêndio em dezembro passado, deve custar 440 mil euros, segundo estimativas divulgadas hoje pelo governo do Estado de São Paulo.

A obra de recuperação começou hoje com a apresentação de um cronograma para fazer a libertação das entradas principais da estação e também a preparação do conjunto arquitetónico para a etapa seguinte de restauro e recuperação.

A previsão inicial do governo do Estado de São Paulo é que os trabalhos desta fase sejam concluídos em 10 semanas.

Em janeiro, foi assinado um convénio entre a Secretaria de Cultura, a Fundação Roberto Marinho e a organização social ID Brasil para a reconstrução do Museu da Língua Portuguesa.

A parceria contempla ainda revisões da conceção de curadoria e de exposição.

A proposta é tomar como base o projeto arquitetónico desenvolvido pelos arquitetos Pedro e Paulo Mendes da Rocha.

O Museu da Língua Portuguesa foi inaugurado em 2006 no edifício Estação da Luz, no centro de São Paulo, tendo como base uma construção histórica datada de 1901 que já havia sido atingida por outro incêndio, em 1946.

Lusa

  • Todos os distritos sob Aviso Amarelo devido ao frio

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou Portugal continental sob Aviso Amarelo na quarta e na quinta-feira. Os termómetros vão estar abaixo de zero em todo o território, à exceção dos distritos de Lisboa, Porto e Faro.

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.