sicnot

Perfil

Cultura

Campanha de aquisição do quadro de Domingos Sequeira com 400 dos 600 mil euros

A campanha de aquisição do quadro de Domingos Sequeira "Adoração dos Magos", lançada pelo Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), em Lisboa, ultrapassa, a partir de hoje, os 400 mil euros, dos 600 mil necessários, segundo a organização.

SIC

"Graças à Fundação Aga Khan, a campanha 'Vamos pôr o Sequeira no lugar certo' entra na fase final", anunciou esta noite fonte da campanha do museu, na página da iniciativa, no Facebook.

"O apoio, verdadeiramente exemplar, corresponde a 1/3 do valor total da subscrição", 200 mil euros, "coroando o esforço dos muitos milhares de portugueses que já a apoiaram", lê-se na mensagem.

De acordo com a edição 'online' do jornal Público, a doação ao MNAA será concretizada na quarta-feira, pelo próprio príncipe Amyn Aga Khan.

Os 200 mil euros doados pela Fundação Aga Khan juntam-se a cerca de outros 200 mil já angariados, desde o final de outubro do ano passado, vindos sobretudo de doações de singulares, muitas delas anónimas ou feitas por transferência bancária, de acordo com o sítio da campanha, patrocinar.publico.pt.

Nesse endereço são também identificadas contribuições de entidades como a Fundação Carmona e Costa e a Fundação Luso-Americana, o Automóvel Clube de Portugal, a associação AGIC de guias e intérpretes, os arquitetos Aires Mateus e a galeria Jorge Welsh, algumas autarquias, como o Município de Cantanhede, pioneiro na doação, e pequenas e médias empresas, de setores que vão da produção audiovisual, aos equipamentos médicos e às instalações elétricas.

No início deste mês, a Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) doou dez mil euros para a compra desta tela e, na mesma altura, a Fundação EDP anunciou que ia fazer uma contribuição de 15 mil euros, enquanto a ANA Aeroportos de Portugal prometeu 20 mil euros.

Em janeiro, o agrupamento de Escolas Domingos Sequeira, em Leiria, convidou os seus 2.800 alunos a ajudarem o MNAA a adquirir este quadro do seu patrono e, em dezembro, a Associação Nacional dos Municípios Portugueses e a Associação Nacional de Freguesias apelaram à participação das autarquias.

A campanha de angariação de fundos para comprar a tela "A Adoração dos Magos", lançada no ano passado, "Vamos pôr o Sequeira no lugar certo", tem como objetivo ajudar o museu a adquirir a obra que Domingos Sequeira pintou em 1828, e da qual o MNAA possui o desenho final e vários preparatórios.

A tela de Domingos Sequeira - considerada "insubstituível" pelo museu - faz parte da série "Palmela", com quatro pinturas religiosas, e o MNAA possui, na sua coleção, os desenhos preparatórios de estudo de todas elas, mas não os respetivos óleos.

O MNAA tem no seu acervo cerca de 30 obras em pintura e desenho de Domingos Sequeira (1768-1837), cujo trabalho realizado, nas primeiras décadas do século XIX, se encontrava no "umbral da modernidade", entre o Classicismo e o Romantismo, de um modo similar a Francisco de Goya, seu contemporâneo na cultura espanhola, atesta o MNAA.

Devido ao seu talento, Domingos Sequeira conseguiu proteção aristocrática e uma bolsa para se aperfeiçoar em Roma, onde privou com vários mestres e conquistou prémios académicos.

A campanha, inédita em Portugal, decorre até abril, e o museu tem toda a informação disponível em sequeira.publico.pt.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.