sicnot

Perfil

Cultura

Sony compra parte de Michael Jackson no maior catálogo musical do mundo

A Sony informou hoje que vai adquirir a participação de 50% que o falecido Michael Jackson detinha na Sony/ATV, o maior selo da edição musical do mundo.

© Reuters Photographer / Reuter

A multinacional e os gestores do património de Michael Jackson acordaram a aquisição por parte da Sony Entertainment, o ramo de conteúdos audiovisuais da Sony, de 50% da sociedade, num negócio avaliado em cerca de 750 milhões de dólares (pouco mais de 675 milhões de euros).

Jackson, falecido em 2009, ficou com o catálogo em 1984 e a Sony propôs-lhe, uma década mais tarde, comprar metade do mesmo mediante a fusão da ATV e da Sony Music.

A Sony estabelece-se assim como a única proprietária do gigantesco catálogo, que inclui material de quase todos os grandes artistas musicais das últimas décadas, desde os Beatles e Rolling Stones até Rihanna ou Taylor Swift.

O grupo japonês decidiu em setembro do ano passado acionar uma cláusula que constava do contrato que dava a opção, a cada uma das partes, de ficar com a totalidade da sociedade.

"Esta aquisição permitirá à Sony adaptar-se mais rapidamente às mudanças no negócio da edição musical", explicou o conselheiro delegado da Sony Entertainment, Michael Lynton, em comunicado.

Ambas as partes concretizarão o acordo alcançado hoje a 31 de março, segundo o texto.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.