sicnot

Perfil

Cultura

Filmes de Manoel de Oliveira, Miguel Gomes e Ivo Ferreira no Festival Internacional de Hong Kong

"Visita ou memórias e confissões", de Manoel de Oliveira, "As Mil e uma noites", de Miguel Gomes, e "Cartas da Guerra", de Ivo Ferreira, integram o Festival Internacional de Cinema de Hong Kong, que arranca na segunda-feira.

"Visita ou memórias e confissões", um filme biográfico que Manoel de Oliveira rodou nos anos 1980 e pediu para só ser mostrado após a sua morte, vai ser exibido a 02 de abril no âmbito da 40.ª edição do Festival Internacional de Cinema de Hong Kong (HKIFF, na sigla inglesa).

Já os filmes "O inquieto", "O desolado" e "O encantado" -- da trilogia "As Mil e Uma Noites", de Miguel Gomes, inspirada na estrutura dos contos de tradição oral narrados pela rainha Xerazade -- têm, cada um, duas sessões previstas: a primeira a 27 de março (nos três casos) e a segunda marcada, respetivamente, para 01, 02 e 03 de abril.

A longa-metragem "Cartas da Guerra", de Ivo Ferreira, baseada em correspondência de António Lobo Antunes durante a guerra colonial, está programada para 25 e 27 de março.

Do cartaz do Festival Internacional de Cinema de Hong Kong fazem também parte os documentários "Os Olhos de André", premiado no festival de cinema Indie Lisboa, do realizador António Borges Correia, com exibição a 29 de março e 03 de abril, e "Eldorado XXI", uma coprodução luso-francesa, realizada por Salomé Lamas (31 de março e 02 de abril).

O cinema brasileiro também vai estar representado, com o filme "The Second Mother" ("Que Horas Ela Volta"), de Anna Muylaert, que vai ser exibido a 22 de março e 03 de abril, e "Neon Bull" ("Boi Neon"), uma coprodução entre Brasil, Uruguai e Holanda, realizada por Gabriel Mascaro.

O festival, que dura 15 dias, abre com a estreia mundial de "Chongqing Hot Pot", realizado pelo chinês Yang Qing, e com a 'première' asiática de "Trivisa", do trio de Hong Kong Frank Hui, Vicky Wong e Jevons Au. O encerramento, a 04 de abril, é com a exibição de "Creepy", do japonês Kurosawa Kiyoshi.

O cartaz do HKIFF junta mais de 240 filmes de um universo de 66 países e territórios, num alinhamento que a organização do festival, que decorre em diferentes salas, define como sendo "o mais eclético de sempre", contando com 63 estreias mundiais, internacionais e/ou asiáticas.

Fundado em 1976, o HKIFF é o mais antigo festival de cinema da Ásia e um dos mais reputados.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".