sicnot

Perfil

Cultura

Nobel da Literatura V.S. Naipaul no Festival Literário de Óbidos

O prémio Nobel da Literatura V.S. Naipaul é um dos escritores confirmados para a segunda edição do Fólio - Festival Literário Internacional de Óbidos, em setembro, numa celebração da "Utopia", também com autores lusófonos, do México e da Islândia.

© STR New / Reuters

"Levar aos leitores portugueses aquilo que de mais interessante se está a produzir no mundo" é, segundo o escritor José Eduardo Agualusa, curador da Folio Autores, a intenção do Festival que, na segunda edição, leva à vila o escritor de "Uma casa para Mr. Biswas", Vidiadhar Surajprasad Naipaul, vencedor do Nobel da Literatura, em 2001.

Ao autor de 83 anos, natural de Trinidad e Tobago, residente no Reino Unido desde os 18 anos, juntam-se o premiado escritor islandês Jón Kalman Stefánsson, autor da trilogia de "The heart of man", o mexicano Juan Pablo Villalobos, que viveu no Brasil e escreveu "Festa no covil", e a luso-angolana Djaimilia Pereira de Almeida, investigadora da Fundação para a Ciência e Tecnologia, que publicou o livro de estreia no ano passado, "Esse cabelo".

Às 16 mesas que vão juntar escritores à conversa com leitores, sentar-se-ão ainda os portugueses Miguel Sousa Tavares, Afonso Cruz, Grande Prémio de Conto, por "Enciclopédia da Estória Universal", e Rui Cardoso Martins, cocriador de programas como "Contra-Informação" e "Herman Enciclopédia", vencedor do Grande Prémio de Romance da Associação Portuguesa de Escritores, com "Deixem passar o homem invisível".

O festival dedicará ainda um dia ao poeta Ruy Belo (1933-1978), "Homem de palavra(s)", autor de "País possível".

Apresentada hoje à comunicação social, na livraria Ler Devagar, na Lx Factory, em Lisboa, a segunda edição do festival adota este ano o tema "Utopia", assinalando os 500 anos da publicação de "Utopia", de Thomas More, o Ano Internacional do Entendimento Global, o centenário do nascimento de Vergílio Ferreira, os 500 anos da morte do pintor Hieronymus Bosch e os 400 da morte de William Shakespeare e Miguel de Cervantes.

O festival vai decorrer de 22 de setembro a 02 de outubro, de novo organizado em cinco capítulos: Folia, Folio Autores, Folio Educa, Folio Ilustra e Folio Mais.

Com curadoria de Anabela Mota Ribeiro, a Folia faz-se de música, teatro, cinema, exposições, aulas, maratonas de leitura e de "muitas sessões de conversa fiada", num programa de "criações originais, idealizadas e produzidas em exclusivo para o Folio".

O resultado será Camané a cantar Tom Jobim, Júlio Resende e Salvador Sobral a interpretar poemas ingleses de Fernando Pessoa, e aulas em que se abordam as utopias de Carlos Reis e José Saramago, assim como do criador de "Mensagem".

A Folia ainda irá mostrar "Quixotes", pintados por Júlio Pomar, ao longo de 50 anos, e retratos de escritores (Yourcenar, Beckett, Barthes, Borges), captados por Carlos Freir, que ficarão expostos durante o festival, assim como uma reprodução em tamanho real de "As Tentações de Santo Antão", o tríptico do Museu Nacional de Arte Antiga, para assinalar os 500 anos da morte de Bosch.

A Folio Educa associar-se-á à celebração dos 30 anos da criação da Rede Nacional de Leitura Pública e dos 20 anos da Rede de Bibliotecas Escolares, anunciando a comemoração, no próximo ano, dos 60 anos do pioneiro Serviço das Bibliotecas Itinerantes da Fundação Calouste Gulbenkian.

Laboratórios de formação, oficinas de mediação para alunos, tertúlias e um seminário internacional fazem igualmente parte do programa Folio Educa, com curadoria de Maria José Vitorino.

Um mercado Ilustrado, oficinas de ilustração e um concurso internacional de ilustração e edição marcam este capítulo, com curadoria da Mafalda Milhões, que este ano conta com autores como os portugueses André da Loba e Catarina Sobral, e os espanhóis Chené Goméz e Raúl Guridi.

No Folio Mais, com curadoria de José Pinho, da Ler Devagar, que dinamizou o projeto da Vila Literária, recém-classificada pela Unesco, cabem lançamentos, encontros com editores e livreiros.

Nesta edição, o Folio Mais também recebe o projeto "Lire, Vivre & Goûter, un avenir", dinamizado pela editora francesa Sylviane Sambor, fundadora de "l'escampette", que tem privilegiado a tradução e publicação de poetas portugueses, como Al Berto e Nuno Júdice.

O festival literário de Óbidos é uma organização da autarquia, com o Turismo Centro de Portugal, o apoio de fundos comunitários e perto de duas dezenas de parceiros de programação.

Lusa

  • Pablo Bravo: o chileno suspeito de um assalto milionário em Gaia
    6:01

    País

    As autoridades receiam um aumento da violência nos assaltos de redes sul-americanas em Portugal, à semelhança do que tem acontecido noutros países europeus. Pablo Bravo é um chileno com um longo cadastro criminal que, em Portugal, é suspeito de um assalto milionário a um hipermercado, em Gaia e, dias depois, foi detido em flagrante, em Paris, a tentar roubar uma loja de relógios de luxo.

    Notícia SIC

  • Obras para as novas instalações da SIC já começaram
    1:54

    País

    As obras do novo estúdio da SIC e SIC Notícias vão começar. A ampliação do edifício do grupo Impresa vai unir os funcionários do grupo num único espaço, com uma área de 750 metros. O Presidente da Câmara de Oeiras entregou esta terça-feira a licença de obra.

  • Cada vez mais pessoas viajam no Carnaval e Páscoa
    3:08

    Economia

    A procura de viagens na altura do Carnaval e Páscosa tem vindo a aumentar e vários destinos já estão esgotados já que muitas pessoas optam por tirar dias de férias nesta altura do ano. Em contagem decrescente, as agências de viagens não têm tido mãos a medir com promoções e ofertas para destinos variados e adequados a várias bolsas.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus parente e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.