sicnot

Perfil

Cultura

Matiné no Lux angaria 13 mil euros para a compra de "Adoração dos magos"

A festa "Domingos no Lux", que decorreu no dia 20 de março na discoteca Lux Frágil, em Lisboa, angariou 13 mil euros para a campanha de aquisição do quadro "Adoração dos Magos", foi hoje anunciado.

De acordo com fonte do gabinete de comunicação do Museu Nacional de Arte Antiga, que lançou no ano passado a campanha para a compra da obra a privados, cerca de duas mil pessoas estiveram presentes na festa.

A campanha de aquisição do quadro de Domingos Sequeira (1768-1837) ultrapassou até ao momento os 447 mil euros, sendo o valor total da obra 600 mil euros.

Desde o final de outubro do ano passado, milhares de pessoas, muitas delas anónimas, contribuíram para a campanha, que também recebeu contributos, entre outros, de câmaras municipais, juntas de freguesia, da Sociedade Portuguesa de Autores, da Fundação Luso-Americana e da Fundação EDP.

A Fundação Aga Khan, que contribuiu com 200 mil euros, foi a maior doação até hoje, e, segundo declarações à agência Lusa do diretor do MNAA, António Filipe Pimentel, "deu um grande impulso" à campanha.

Também houve contribuições de alunos e funcionários da Casa Pia de Lisboa, da Fundação Carmona e Costa, do Automóvel Clube de Portugal, do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, da associação AGIC de guias e intérpretes, dos arquitetos Aires Mateus e dos galeristas Jorge Welsh e Philippe Mendes.

Por seu turno a ANA - Aeroportos de Portugal anunciou que irá apoiar com 20 mil euros, e a Câmara Municipal do Porto também anunciou que irá entregar um donativo de 15 mil euros, o mesmo valor dado pela Fundação EDP.

O MNAA tem no seu acervo cerca de 30 obras em pintura e desenho de Domingos Sequeira, e o quadro "Adoração dos Magos" é considerado "insubstituível" pelo museu, fazendo parte da série "Palmela", com quatro pinturas religiosas.

Na sua coleção, o museu possui os desenhos preparatórios de estudo de todas elas, mas não os respetivos óleos.

Inédita em Portugal, a campanha decorre até ao final de abril, e o museu tem toda a informação disponível em sequeira.publico.pt.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.