sicnot

Perfil

Cultura

Dois livros de Dr. Seuss vão ser publicados em Portugal

Os livros para crianças "O gato do chapéu" e "Ovos verdes e presunto", do autor norte-americano Dr. Seuss são editados este mês em Portugal, pela Booksmile.

No caso de "O gato do chapéu" (1957) é uma reedição, uma vez que já tinha sido publicado anteriormente pela Gradiva, mas "Ovos verdes e presunto" (1960) tem aqui a primeira edição no mercado português.

Dr. Seuss é o nome pelo qual é conhecido o escritor, ilustrador e cartoonista norte-americano Theodor Seuss Geisel, que morreu em 1991, deixando mais de sessenta livros para crianças, quase todos de poesia, traduzidos em mais de trinta línguas.

Largamente premiada e lida pelos mais novos, a obra de Dr.Seuss também já foi adaptada para televisão e cinema, nomeadamente nos filmes "Lorax" (2012), "Grinch" (2000) e "Horton e o mundo dos quem" (2008).

Em 1984, Dr.Seuss recebeu um prémio Pulitzer pelo contributo para os níveis de literacia e educação das crianças nos Estados Unidos.

No ano passado, a Booksmile editou "Que amigo levo comigo?", escrito e ilustrado por Dr.Seuss entre os anos 1950 e 1960, e que foi descoberto em 2013, entre papéis e desenhos dispersos, reunidos numa caixa.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.