sicnot

Perfil

Cultura

Morreu a arquiteta britânico-iraquiana Zaha Hadid

A arquiteta britânica de origem iraquiana Zaha Hadid, primeira mulher distinguida com o prémio Pritzker, a mais alta distinção na arquitetura, morreu hoje num hospital de Miami, nos Estados Unidos, anunciou o seu atelier em Londres.

© Andrew Innerarity / Reuters

"É com grande tristeza que a Zaha Hadid Architects confirma que Zaha Hadid morreu subitamente em Miami às primeiras horas desta manhã", lê-se num comunicado.

O texto precisa que a arquiteta, 65 anos, foi diagnosticada com uma bronquite dias antes e que sofreu um ataque cardíaco durante o tratamento no hospital.

"Zaha Hadid era amplamente considerada como a mais importante mulher arquiteta do mundo de hoje", afirma ainda o texto.

Hadid foi galardoada em 2004 com o prémio Pritzker, conhecido como "o Nobel da Arquitetura", que distingue anualmente um arquiteto que melhor cumpra os princípios enunciados pelo fundador da arquitetura clássica, Vitrúvio: solidez, beleza e funcionalidade.

Foi também a primeira mulher a receber a medalha real para a Arquitetura, em 2015, depois de Jean Nouvel, Frank Gehry e Oscar Niemeyer.

Nascida em Bagdad em 1950, estudou matemática na American University de Beirute e formou-se em 1977 na Architectural Association de Londres.

Zaha Hadid, que abriu o seu atelier em 1979, assinou nomeadamente as Óperas de Cantão, na China, e de Cardiff, no País de Gales, e o complexo de piscinas do estádio olímpico de Londres.

Lusa

  • MIT quer humanos a ajudar máquinas a decidir (quem morre)

    Mundo

    A "Máquina Moral" é uma plataforma online que recolhe a perspetiva humana em decisões que terão de ser tomadas por uma máquina. Por exemplo, quando um carro sem condutor se depara com o dilema do mal menor: em quem acertar - para evitar outros - num acidente de viação.

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.