sicnot

Perfil

Cultura

Músico processa Royal Opera House por problema auditivo irreversível

Um músico processou a Royal Opera House, em Londres, considerando que lhe arruinou a carreira ao colocá-lo durante os ensaios à frente da secção de metais, o que lhe causou um problema auditivo irreversível.

© Reuters Photographer / Reuter

Chris Goldscheider, que toca viola de arco, alega que em 2012 o seu ouvido ficou "irremediavelmente danificado" durante os ensaios musicais para preparar a ópera "A Valquíria" de Richard Wagner, "devido ao facto da secção de metais estar colocada" atrás de si, de acordo com o processo.

O som a que o músico esteve exposto durante as sessões de ensaio chegou a alcançar uma intensidade de 137 decibéis, o equivalente ao de um motor de um avião.

De acordo com a BBC, citada pela agência noticiosa espanhola EFE, a queixa refere que o ruído causou ao músico um dano traumático permanente.

Filho de um compositor, Goldscheider ensaiava até seis horas por dia desde os 10 anos. Músico profissional há 25 anos, tocou na Filarmónica de Liverpool e nas Orquestras Sinfónicas da BBC antes de se juntar à Royal Opera House em 2002.

"A música constituía o meu rendimento. Era tudo para mim", afirmou o músico, de 46 anos.

A Royal Opera House negou a sua responsabilidade, embora cerca de um quarto dos 100 músicos da orquestra tenha relatado problemas auditivos ocasionais.

Lusa

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efetivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21
  • Antigos quadros da Facebook declaram-se preocupados com efeitos da rede social

    Mundo

    Alguns dos antigos quadros da empresa Facebook estão a começar a exprimir sérias dúvidas sobre a rede social que ajudaram a criar, foi noticiado. A Facebook explora "uma vulnerabilidade na psicologia humana" para criar dependência entre os seus utilizadores, afirmou o primeiro presidente da empresa, Sean Parker, num fórum público.