sicnot

Perfil

Cultura

Helder Moutinho edita novo disco "O manual do coração" em maio

O novo disco de Helder Moutinho, "O manual do coração", a editar a 6 de maio, é constituído exclusivamente por inéditos, sendo todas as letras de João Monge e músicas de diferentes compositores, entre os quais Vitorino e Carlos Barretto.

Mário Laginha assina igualmente uma das composições, assim como João Gil, João Monge, José Medeiros, Luís José Martins, Manuel Paulo, Marco Oliveira, Pedro da Silva Martins e Ricardo Parreira.

"O manual do coração" sucede a "1987", editado em 2013, no qual o artista já gravou, entre outras, composições de João Gil e Marco Oliveira.

Quanto à escolha de João Monge como letrista exclusivo, Helder Moutinho, também poeta, afirmou que os textos do disco foram surgindo de longas conversas, entre o fadista e Monge, "abordando episódios e histórias que lhes aconteceram, pessoalmente ou a amigos".

Desde o início ficou definido que as melodias seriam todas originais. "Acordámos que, assim que cada letra ficasse pronta, o Monge iria ver quem seria 'a cara' desse texto, e depois convidá-lo-íamos para compor a música", contou.

O primeiro convidado foi o açoriano Zeca Medeiros, seguindo-se-lhe Manuel Paulo Felgueiras, Vitorino, João Gil, Pedro da Silva Martins e Luís José Martins - ambos dos Deolinda, e que já compuseram para outros fadistas, designadamente Ana Moura -, depois, Ricardo Parreira, Marco Oliveira, Carlos Barretto e Mário Laginha, estes dois últimos músicos da área do jazz, tendo Laginha já composto para Cristina Branco e Camané.

Helder Moutinho gravou este álbum numa residência artística no Centro Internacional de Musicas e Danças do Mundo Ibérico, Musibéria, em Serpa, entre dezembro do ano passado e janeiro último, com os músicos Ricardo Parreira, na guitarra portuguesa, Marco Oliveira, na viola, e Ciro Bertini, no baixo.

O álbum conta com a participação especial do contrabaixista Carlos Barretto.

"O manual do coração" compõe-se maioritariamente de "fados-canção", embora "alguns temas respeitem a estrutura do fado tradicional", segundo comunicado da produtora.

Uma "fuga" à utilização e valorização das melodias do fado tradicional que tem norteado a sua carreira, era importante neste disco, como referiu o criador de "Que fado é este que trago".

"Mesmo por defender o fado tradicional, não fazia sentido para estas letras voltar a ir buscar fados tradicionais que já tivessem sido gravados muitas vezes. E acredito que alguns destes temas se vão tornar em novos fados tradicionais", afirmou o fadista.

A ideia de "O manual do coração" é uma "coleção de contos", que se vai estender à produção de palco, "com várias histórias à volta de um ponto de encontro que será a sala de espetáculos, que serão maioritariamente deste disco, mas poderão também vir dos anteriores", realçou.

Em vinte anos de carreira, "O manual do coração" é o quinto álbum de Helder Moutinho, que se estreou discograficamente com "Sete fados e alguns cantos" (1999), seguindo-se "Luz de Lisboa" (2004), "Que fado é este que trago" (2008) e "1987" (2013).

Lusa

  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à UE e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido perdão da dívida como os partidos da esquerda chegaram a defender.

  • Ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00
  • "Têm um verdadeiro amigo na Casa Branca"

    Mundo

    O Presidente norte-americano reafirmou esta sexta-feira o apoio ao direito de porte de armas no país, sublinhando, numa convenção daquele 'lobby', que "o ataque de oito anos às liberdades consagradas no Artigo 2.º [da Constituição]" terminou.

  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Presidente da Macedónia convocou reunião de emergência

    Mundo

    O Presidente da Macedónia, Gjorge Ivanov, convocou esta sexta-feira uma reunião de emergência com líderes políticos, após manifestantes, maioritariamente apoiantes da maioria conservadora, invadirem o Parlamento e atacarem deputados da oposição, fazendo 77 feridos.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.